CASO DANIEL ALVES

Advogada reforça que vítima não quer indenização, mas sim a prisão do jogador Daniel Alves

Ester Garcia López afirma que a denunciante a contratou decidida a não aceitar um acordo com a defesa


Daniel Alves é acusado de agressão sexual

Daniel Alves é acusado de agressão sexual Foto: Reprodução/Instagram Barcelona B/ Lance

A advogada da mulher supostamente estuprada por Daniel Alves reafirmou o desejo da vítima em ver o jogador preso, rechaçando a possibilidade de receber uma indenização pelo caso. Segundo Ester Garcia López, a denunciante de 23 anos deixou claro suas intenções desde o primeiro momento em que a contatou. O atleta está preso preventivamente, sem direito a fiança, no presídio Brians 2, em Barcelona, na Espanha.

"Ela me disse 'tenho a sorte de ter boas condições e não quero indenização, quero prisão'", contou a advogada em entrevista ao site Uol. Ester disse ainda que ela tinha o direito ao dinheiro, mesmo não querendo, mas a vítima permaneceu irredutível. "'Se tiver dinheiro envolvido, não vou contratar você'", disse.

De acordo com a publicação, Ester tem preservado ao máximo a vítima das notícias que saem na imprensa pelo receio de que haja uma pressão midiática e ela desista do processo, aceitando um eventual acordo. Para defender-se, Daniel Alves contratou Cristóbal Martell, advogado que já defendeu Lionel Messi, Barcelona e políticos importantes da Espanha. Miraida Puente Wilson também participa da defesa do atleta.

Ester explica ainda que a prisão preventiva de Daniel Alves se deu por três motivos: a existência de indícios que corroboram a investigação de suposta agressão sexual, como a contundência do depoimento da vítima, enquanto a versão do jogador apresenta diversas contradições; o risco de fuga, por se tratar de alguém com dupla nacionalidade e grande capacidade financeira, o que dificultaria uma eventual extradição; e a preservação da identidade da vítima, evitando uma obstrução à Justiça.

Ainda de acordo com a advogada, a vítima está tomando um coquetel antiviral para evitar contaminação por infecções sexualmente transmissíveis. Ester aponta que sua cliente foi agredida sexualmente pelo jogador sem uso de preservativo. Ela disse ainda que a vítima está muito abalada com a situação e faz uso de ansiolíticos para conseguir dormir.

CASO DANIEL ALVES

A juíza Maria Concepción Canton Martín decretou a prisão de Daniel Alves na última sexta-feira. Ele foi detido ao dar depoimento sobre o caso de agressão sexual contra uma mulher na madrugada do dia 30 de dezembro. O Ministério Público pediu a prisão preventiva do atleta de 39 anos, sem direito à fiança, e a titular do Juizado de Instrução 15 de Barcelona acatou o pedido, ordenando a detenção.

A acusação se refere a um episódio que teria ocorrido na casa noturna Sutton, em Barcelona. O atleta, que defendeu a seleção brasileira na Copa do Mundo do Catar, teria colocado a mão entre as roupas íntimas da mulher que fez a queixa. Ela procurou as amigas e os seguranças da balada depois do ocorrido. Ele teria trancado, agredido e estuprado a mulher em um banheiro da sala VIP da boate, segundo o jornal El Periódico.

A equipe de segurança da casa noturna acionou a polícia catalã, que colheu depoimento da vítima. Ela também passou por exame médico em um hospital. Daniel Alves foi embora do local antes da chegada dos policiais.

Segundo a imprensa espanhola, a contradição no depoimento do lateral-direito foi determinante para o Ministério Público do país pedir a prisão e a juíza aceitar. No início de janeiro, o jogador deu entrevista ao programa "Y Ahora Sonsoles", da Antena 3, em que confirmou que esteve na mesma boate que a mulher que o acusa, mas negou ter tocado na denunciante sem a anuência dela e disse que nem a conhecia.

No depoimento, porém, de acordo com os meios de comunicação da Espanha, o atleta afirmou ter tido relações consensuais com a mulher, cujo nome não foi revelado. O suposto crime sexual teria ocorrido num banheiro da área VIP da casa noturna. Segundo a rádio Cadena SER, imagens da vigilância interna do local confirmam que Daniel Alves ficou 15 minutos com a mulher no banheiro.

O Pumas, do México, anunciou na última sexta que o contrato de trabalho de Daniel Alves com o clube será rompido por justa causa.

Fonte: Uol e Terra

Siga nas redes sociais
Próxima notícia

Dê sua opinião: