VIDA

Viúva de Paulinho, do Roupa Nova, vira ambulante

Na semana passada, conversou com a viúva do artista, que relembrou um ano da morte do cantor


Elaine Soares Bastos, viúva de Paulinho, vocalista da banda Roupa Nova, teria virado ambulante após a morte do cantor. De acordo com o quadro “A Hora da Venenosa”, do programa “Balanço Geral SP”, da Record TV, ela estaria passando por dificuldades financeiras, e por isso, estaria tocando um bico de camelô pelas ruas no Rio de Janeiro para sobreviver. De acordo com a atração, a advogada está no Saara, um comércio popular da cidade, bastante comparado à Rua 25 de Março, em São Paulo.

“Ela vende objetos como peça de cozinha, taças, abridor, pratos. E por ironia do destino, ela ainda ajuda uma amiga que também tem uma barraca. Essa amiga, aliás, já foi faxineira da Elaine, e hoje está dando uma oportunidade para ela”, disse a jornalista Keila Jimenez. “A Elaine ainda não recebeu nenhum centavo da herança do Paulinho. Ela disse que enquanto o inventário do marido não sai, ela precisa se virar como pode”, acrescentou.

Na semana passada,  conversou com a viúva do artista, que relembrou um ano da morte do cantor. “Eu perdi o meu chão, perdi um pedaço de mim”, contou ela, ao telefone, com a voz embargada. Na ocasião, ela disse que neste último foi parar na sala de um psiquiatra, sendo diagnosticada com crise de pânico e depressão. “Ficava encolhida na cama com medo de tudo. Medo de pegar o elevador, medo de dirigir, medo de tomar banho. Nos meus momentos de lucidez, por causa da quantidade de remédios que tomava, eu achava que ele ia voltar”, contou.

E seguiu. “Estou no meu apartamento e aqui tudo lembra ele. Eu ainda não mexi em nada. Não consigo tocar em nada que é dele. Nada! Está exatamente como ele deixou. É como se ele fosse chegar a qualquer momento”, lamentou a advogada.

Paulinho morreu vítima de complicações causadas pela Covid-19. O cantor teve falência múltipla dos órgãos e estava internado há mais de um mês na UTI (Unidade de Tratamento Intensiva) do Hospital Copa D’or, na Zona Sul do Rio. Mas antes da doença, o estado de saúde do artista já era grave. O músico vinha se recuperando de um transplante de medula óssea. Naquele mesmo ano, ele teve um câncer linfático e chegou a ter alta após a cirurgia.

Passados alguns minutos da entrevista, agora um pouco mais calma, Elaine contou como pretende eternizar a vida do marido. “Assim que eu parar com os remédios da depressão, vou dar continuidade às injeções necessárias para o processo de fertilização in vitro. Desta forma, vou ter um pedacinho dele de verdade para mim”, disse ela, emocionada.

Ainda na entrevista, Elaine recordou com carinho um dos dias em que o marido estava intubado. “A enfermeira estava trocando o acesso no braço dele e nesse momento eu fiz uma oração bem próxima ao ouvido dele. Ele deu uma mexida e piscou os olhos. A enfermeira disse que a sedação dele estava baixa, e que ele provavelmente tinha me escutado e reagiu querendo me responder”, contou.

Por fim, a advogada fez questão de exaltar as qualidades do marido. Se vivo, neste ano, Paulinho completaria 16 anos de casado com a mulher.

“Ele era uma pessoa maravilhosa. A melhor que eu já conheci nessa vida. Meu protetor, meu anjo da guarda, meu melhor amigo, meu companheiro, meu tudo. Tenho certeza de que ele está do meu lado, que ele jamais vai me abandonar. A gente é unido por corpo, alma e espírito. Ele dizia isso para mim”, conclui a viúva do cantor.

PRINCIPAIS NOTÍCIAS
e receba alertas das principais notícias sobre famosos, novelas, séries, entretenimento e mais!


Fonte: O Fuxico

Próxima notícia

Dê sua opinião: