DESFILES

Primeiro dia de desfiles no Rio traz enredos da literatura para a Sapucaí

Além de homenagear obras da literatura o Grupo Especial também celebrou a cultura indígena


Unidos do Porto da Pedra no Sambódromo da Marquês de Sapucaí

Unidos do Porto da Pedra no Sambódromo da Marquês de Sapucaí Foto: Agência Brasil

A Marquês de Sapucaí se iluminou com o brilho e a magia do carnaval carioca durante o primeiro dia de desfiles do Grupo Especial. A Unidos do Porto da Pedra abriu a noite com o enredo "Lunário Perpétuo: a profética do saber popular", transportando o público para as páginas de um livro que reúne saberes sobre astronomia, agricultura e saúde, escrito em 1594 por Jerónimo Cortés e enaltecido por Câmara Cascudo como um tesouro nordestino por dois séculos.

A Beija-Flor seguiu com "Um delírio de carnaval na Maceió de Rás Gonguila", contando a história de Benedito dos Santos, conhecido como Rás Gonguila, que afirmava sua ligação com o último imperador da Etiópia.

O Salgueiro e a Grande Rio trouxeram a riqueza da cultura indígena para a avenida, com os enredos "Hutukara" e "Nosso destino é ser onça", respectivamente, explorando a mitologia Yanomami e tupinambá.

A Unidos da Tijuca encantou com "O conto de fados", enquanto a Imperatriz Leopoldinense encerrou a noite com "Com a sorte virada pra lua", inspirada no universo cigano através da obra ficcional de Leandro Gomes de Barros, "O testamento da cigana esmeralda".

O primeiro dia de desfiles encantou o público e deixou a expectativa alta para as próximas apresentações no sambódromo do Rio de Janeiro.

Fonte: Agência Brasil

Siga nas redes sociais
Próxima notícia

Dê sua opinião: