SAFRA

Produção de grãos no Piauí deve crescer cerca de 10% em 2021, nova marca histórica

O prognóstico para a produção de grãos do Brasil neste ano também é positivo


Safra de grãos

Safra de grãos Foto: Agência Brasil

  Nesta quarta-feira (13/01), o IBGE divulgou os números do prognóstico para a safra de grãos do país em 2021, com base nas informações de campo obtidas em dezembro do ano passado. A expectativa é de que a produção de grãos no estado do Piauí em 2021 aumente 9,74% em relação ao ano passado, alcançando um total de 5,4 milhões de toneladas, um crescimento da safra de aproximadamente 478 mil toneladas. A expectativa de crescimento da produção de grãos do Piauí é a segunda maior do país, atrás apenas do Rio Grande do Sul, no qual a produção deverá ter um incremento de 34,5%

>>Benefícios do INSS acima de um salário mínimo têm reajuste de 5,45%

>>Equatorial lança campanha que devolve parte do valor de débitos quitados aos clientes

          O prognóstico para a produção de grãos do Brasil neste ano também é positivo, devendo atingir um crescimento da ordem de 2,5% em relação à safra do ano de 2020, chegando a um total de 260,5 milhões de toneladas de grãos, cerca de 6,4 milhões de toneladas a mais.

 

                   Comparação da produção de grãos obtidas em 2020 e do prognóstico para 2021, por estado (e percentual de variação entre esses anos)

  As informações apresentadas pelo IBGE são consolidadas através do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado por meio de pesquisas periódicas, segundo o calendário agrícola das culturas, cuja metodologia consiste no levantamento das informações através de reuniões realizadas em todos os municípios e homologada por entidades das áreas pública e privada – instituições financeiras, órgãos de pesquisas, extensão rural, secretarias de agricultura, sindicatos de trabalhadores rurais, cooperativas, associações, produtores – fundamentando todas as informações com subsídios, como pesquisas de campo em consulta aos maiores produtores, especialmente na região dos cerrados.

Fonte: Ascom IBGE

Próxima notícia

Dê sua opinião: