Mercado de Trabalho

Crescimento do setor abre novas oportunidades para medicina veterinária

São mais de 80 áreas de atuação profissional


o Brasil é o sexto maior mercado no setor de produtos destinados a animais domésticos

o Brasil é o sexto maior mercado no setor de produtos destinados a animais domésticos Foto: Divulgação

Segundo o último censo (2020) realizado pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária, cerca de 36 mil novos profissionais chegaram ao mercado de trabalho, acompanhados pelo surgimento de mais de 15  mil clínicas, hospitais, consultórios, ambulatórios e pet shop em apenas 4 anos. É um setor que não para de crescer e que gera boas expectativas para quem deseja tornar-se um profissional em alta e com um amplo campo de trabalho.

O médico veterinário, cuja data da profissão é comemorada no dia 9 de setembro, atua promovendo a saúde e bem-estar de animais, seres humanos e a sustentabilidade do meio ambiente. O campo de trabalho para o médico veterinário é amplo e abrange desde gestão e responsabilidade técnica, inspeção tecnológica de produtos animais, produção, reprodução e melhoramento animal, clínica médica e cirúrgica de animais domésticos e silvestres, medicina veterinária esportiva, pesquisa, docência e saúde pública, entre outros.

"São mais de 80 áreas de atuação onde o profissional, por exemplo, poderá se envolver em questões de saúde além atuar na área de vendas de alimentos, remédios, vacinas e de outros artigos para animais", destaca Rayssa Carvalho, Doutora em Patologia e professora da Wyden. Segundo ela, é uma profissão favorecida também pelo registro do crescimento da demanda por conta das mudanças do perfil da população e por novos hábitos e interesses que envolvem a posse e o cuidado com os animais.

Setor Pet continua em alta
De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), existem 144,3 milhões de animais de companhia no país. Desses, cerca de 55,9 milhões são cães e 25,6 milhões são gatos. A mesma pesquisa mostrou também que o faturamento da indústria Pet no Brasil é alto. Somente em 2020 houve um lucro de R$27,02 bilhões. Não à toa, o Brasil é o sexto maior mercado nesse setor de produtos destinados a animais domésticos, em especial cães e gatos, de acordo com dados da Abinpet.

Formação Profissional
Com o crescimento da demanda por novos profissionais no mercado e com as boas perspectivas do setor, tem crescido a busca por vagas nas universidades pela formação do médico veterinário.

Rayssa Carvalho, afirma que a Wyden está preparada para formar bons médicos veterinários para o mercado de trabalho, articulando teoria e prática desde o primeiro período e aliando o melhor da graduação presencial com os avanços da tecnologia na era digital. “O curso, que dura 5 anos, prepara o médico veterinário com competências fundamentais para sua atuação profissional, como gestão e responsabilidade técnica, produção, reprodução e melhoramento animal, clínica médica, cirúrgica e diagnóstica de animais, medicina veterinária preventiva, inspeção tecnológica de produtos animais, entre outras habilidades”, destaca Rayssa.

Outra boa perspectiva da profissão é o salário. A Lei nº 4.950-A, de 22 de abril de 1966 estabelece que o salário-base mínimo do médico veterinário é 6 (seis) vezes o maior salário-mínimo comum vigente no País,  para seis horas diárias de serviço. Entretanto, a faixa salarial pode variar de acordo com o local de trabalho, área de atuação e nível de especialização do profissional.  Um  auditor fiscal federal agropecuário da área de medicina veterinária, por exemplo, tem salário inicial de cerca de R$ 15 mil reais para 40 horas de trabalho semanal.

Próxima notícia

Dê sua opinião: