SÉTIMA ARTE

Produções de cinema representam importante papel na luta por representatividade

O cinema, assim como outras manifestações artísticas, tem um importante papel na luta por representatividade e no combate à discriminação


Cinema

Cinema Foto: Divulgação

Hoje muito tem se falado sobre o racismo presente em todas as esferas da sociedade. Mesmo em meio à pandeia, em vários países pessoas foram às ruas para lutar contra a discriminação racial e a violência sofrida pelo povo negro. Não apenas a luta racial está presente em várias produções cinematográficas, mas também a luta da mulher, da comunidade LGBT+, dos povos indígenas e outras.

O cinema, assim como outras manifestações artísticas, tem um importante papel na luta por representatividade e no combate à discriminação. Nas telonas, toda cultura, gênero, etnia, orientação sexual, religião e outras vertentes humanas devem ter espaço e ser representadas com respeito.

“Assim como as mais variadas manifestações da arte, o cinema carrega em si uma ampla representatividade pelo simples fato de serem realizadas. A arte é o mais significativo representante de um pais e de seu povo. Traduzo representatividade como a produção de conteúdo por todas as pessoas, independente de origem, cor, religião, classe social”, revela Douglas Machado, curador do Cinemas Teresina e diretor de cinema.

A exemplo de outros cinemas pelo Brasil, os Cinemas Teresina, ao longo de anos têm contribuído significativamente para esse debate ao dar espaço para produções que quebraram padrões estabelecidos. Filmes que abordam temas variados e bastante representativos, têm espaço garantido no cinema.

“A maior contribuição para mostrar representatividade, que se tornou uma identidade nossa, é dar espaço para o cinema nacional das mais variadas produções e temas. Nós exibimos grandes blockbuster, mas também exibimos “Chuva é cantoria na aldeia dos mortos”, “Temporada”, “Bacurau” e muitos outros. Nossa contribuição é abrir espaço e manter esse espaço para todas as produções dos mais variados temas e tipos de direcionamentos ao público”, explica Douglas.

Porém, para se ver representado no cinema, primeiramente é preciso frequentar e apoiar as diversas produções. O público tem um papel importantíssimo e primordial nesse processo de dar mais espaço para outros olhares.

“O papel do público é frequentar o cinema e sobretudo assistir essas produções das mais diferentes regiões e representações. O público sempre pode creditar a força da cultura e representatividade quando ele frequenta e consome essas produções. A medida que ele vai para as Sessões com Debate, para Mostras e para ver esses filmes autorais, assinados com uma premissa cultural, ele sempre está participando e promovendo essa representatividade. Daí nossa preocupação de trazer filmes com temática da área política, cultural, questão de gênero, de raça e religião para que o público possa estar presente e se sentir representado. E dentro disso não podemos esquecer da participação das produções do nosso estado, para o piauiense também se ver na tela”, finaliza.

Fonte: Ivana Machado

Próxima notícia

Dê sua opinião: