COVID-19

Sesc se mobiliza na produção de máscaras em todas as regiões do país

Iniciativas regionais visam a segurança da população e dos profissionais de saúde


Fabricação de máscara

Fabricação de máscara Foto: Divulgação

Iniciativas regionais visam a segurança da população e dos profissionais de saúde

Em meio à pandemia da Covid-19 no Brasil, o Sesc desenvolveu diversas frentes de trabalho para auxiliar na produção de máscaras destinadas à profissionais de saúde e para comunidades carentes que não conseguem adquirir esses produtos. A capilaridade nacional do Sesc e sua interface variada com a sociedade têm facilitado iniciativas em todas as regiões do país, o que já viabilizou a confecção de dezenas de milhares de máscaras. Essas ações se tornarão ainda mais essenciais porque vários estados estão determinando o uso obrigatório desses produtos.

Em Pernambuco, os exemplos de solidariedade se multiplicaram por todas as regiões do estado. Grupos de idosos decidiram confeccionar e doar máscaras. Há mobilizações em Caruaru, Surubim, Garanhuns, Piedade, São Lourenço, Araripina, Bodocó, Santo Amaro, Petrolina, Pesqueira e Belo Jardim.

No Rio Grande do Sul, já foram produzidas mais 5,5 mil máscaras pelos integrantes do projeto Maturidade Ativa. Os idosos estão mobilizados em Novo Hamburgo, Três Passos, Gravataí, Lajeado, Farroupilha, São Borja, Santa Maria, Santo Ângelo, Caxias do Sul, Canoas e Alegrete, entre outras cidades gaúchas. E a matéria-prima vem por meio de doações do Sesc ou ainda é fornecida pelos próprios idosos, que se sentem envolvidos nas ações de combate ao coronavírus.

Já no Rio de Janeiro, o Sesc doará 23 mil máscaras artesanais a moradores da comunidade da Rocinha, a comerciantes de feiras livres da cidade e profissionais de saúde da capital e do interior para uso fora do ambiente hospitalar. Elas estão sendo confeccionadas por mais de 150 artesãos voluntários que participam do programa Sesc+ Criativo.

Ainda no Rio, soldados do Comando Militar do Leste estão trabalhando em parceria com o Sesc na confecção de máscaras de tecido. Até o momento, já foram produzidas mais de 5 mil unidades que serão distribuídas nas áreas com população em situação de vulnerabilidade da cidade.

No Paraná, alunas do curso de Corte e Costura do Sesc Foz do Iguaçu estão confeccionando máscaras que serão destinadas ao Centro de Oncologia do município.A ação busca prover material de segurança não somente para os pacientes da instituição, mas também para voluntários que estão trabalhando nas campanhas de combate à Covid-19.

No Sesc do Distrito Federal, há duas iniciativas em andamento. O grupo dos Mais Vividos reúne 25 idosas voluntárias que recebem matéria-prima para produção de máscaras. A produção deve começar ainda nesta semana e o Sesc vai fornecer os materiais. A iniciativa conta ainda com doação de tecidos em algodão ou tricoline vinda de voluntários.

Ainda no DF, a área de educação do Sesc se mobilizou e começou a produzir máscaras com a ajuda de impressoras 3D que fazem parte dos Espaços Makers. Os alunos têm produzido equipamentos de proteção individual para os profissionais de saúde. A ajuda é essencial para suprir a demanda, porque a importação desses produtos está restrita.

Em Santa Catarina, o Sesc lançou, por meio do projeto Envolva-se, a ação "Máscaras para Todos", que mobiliza doadores de matérias-primas e reúne voluntários em 19 cidades catarinenses para produzir e doar os produtos para a população. A iniciativa acontece nas cidades de Blumenau, Brusque, Caçador, Canoinhas, Chapecó, Concórdia, Curitibanos, Florianópolis, Jaraguá do Sul, Joaçaba, Joinville, Lages, Laguna, São Joaquim, São João Batista, São Miguel do Oeste, Tijucas, Urubici e Xanxerê.
Já no Mato Grosso, a equipe de voluntários do pólo socioambiental Sesc Pantanal continua a todo vapor. As equipes não deixam as máquinas do Espaço Fábrica, no Sesc Poconé, pararem de cortar máscaras que estão sendo doadas para unidades de saúde de Poconé e Cuiabá. Os voluntários estão trabalhando ainda na produção de jalecos.

Fonte: Fatima Gomes.imprensaSesc

Próxima notícia

Dê sua opinião: