Lives do conhecimento
EVENTO

Especialistas debatem práticas forenses na pandemia de Covid-19

Webinar “Proteção das pessoas falecidas e suas famílias na pandemia” será transmitido pelo YouTube e pelo Facebook no dia 26 de abril; participação é gratuita e aberta ao público


Pandemia

Pandemia Foto: Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) reunirá autoridades e especialistas forenses para intercambiar recomendações e práticas forenses no contexto da pandemia de Covid-19. Nos últimos 13 meses, este contexto tem sido marcado por um aumento no número de falecimentos que, no Brasil, já atingiu mais de 380 mil pessoas.

Em situações como estas, o CICV defende a importância de fortalecer protocolos específicos e a coordenação eficiente entre as instituições envolvidas de modo a garantir que pessoas enfermas ou falecidas sejam identificadas e tratadas dignamente, e, que seu paradeiro seja rapidamente informado a seus familiares. Deste modo, é possível prevenir o incremento no número de casos de desaparecimento de pessoas e um sofrimento prolongado aos familiares dos desaparecidos.

"Esta é uma preocupação humanitária importante. Trata-se de dignidade humana e do direito dessas famílias, que, se negado, pode provocar sofrimento adicional àqueles que ficam", explica o assessor forense da Delegação do CICV no Brasil, Frederico Mamede.

O seminário on-line contará com a participação de Mamede, da coordenadora regional forense do CICV para as Américas, Alejandra Jiménez, o coordenador-geral de informações e análises epidemiológicas do Ministério da Saúde, Giovanny França, e o chefe de gabinete do Serviço Funerário do município de São Paulo, Ricardo Rosario.

Com experiência de atuação em dezenas de países, o CICV trabalha com a temática forense no Brasil ,apoiando as autoridades locais com assessoria técnica, recomendações e outras formas de auxílio em estratégias voltadas a para assegurar um tratamento adequado de pessoas falecidas, mesmo em situações desafiadoras.

"Temos a preocupação e queremos evitar que pessoas desapareçam por falta de aplicação de procedimentos padrões e coordenação entre as instituições, e, desta forma, que famílias tenha sua dor prolongada", explica a coordenadora de Proteção do CICV no Brasil, Rita Palombo. "É muito importante que canais de comunicação com familiares de pacientes em isolamento sejam mantidos e, mesmo no pior cenário, que eles saibam exatamente o destino e o paradeiro de seus entes queridos", conclui.

Serviço

Webinar "Proteção das pessoas falecidas e suas famílias na pandemia"
26 de abril (segunda-feira) às 15h
Formulário para pré-inscrição aqui
Transmissão online no canal do CICV no YouTube e na página da organização no Facebook

Fonte: Comitê Internacional da Cruz Vermelha

Próxima notícia

Dê sua opinião: