Lives do conhecimento
LIVE

Defensoria e Equatorial abordam Tarifa Social em live na terça (5)

A live inicia às 15h e pode ser acompanhada no Instagram da Equatorial Piauí.


Live equatorial

Live equatorial Foto: Divulgação

A defensora pública Ângela Martins Soares Barros, coordenadora do Núcleo Especializado dos Direitos do Consumidor (Nudecon) da Defensoria Pública do Estado do Piauí (DPE-PI) participa, na terça-feira (5), de live com o presidente da Equatorial Piauí, Nonato Castro, oportunidade em que abordarão o tema “Tarifa Social – Quem tem direito”. A live inicia às 15h e pode ser acompanhada no Instagram da Equatorial @equatorial.pi.

O presidente da empresa diz que a Defensoria Pública tem papel fundamental para que a Equatorial possa identificar e fazer chegar às famílias que realmente necessitam de benefícios como a Tarifa Social. “É de grande importância para a Equatorial Piauí se aproximar e dialogar com as instituições do Estado, como a Defensoria Pública, porque juntos caminhamos na mesma direção para atender as demandas da sociedade. Acreditamos na credibilidade histórica de assistência judiciária da Defensoria para chegar àquelas famílias que tem direito ao benefício da Tarifa Social e ainda não se cadastraram, bem como esclarecer as dúvidas que surgiram após a medida provisória que garante 100% de desconto na tarifa”, afirma Nonato Castro.

Ângela Barros diz que é importante esclarecer as dúvidas da população quanto ao benefício

A coordenadora do Nudecon afirma por sua vez que, nesse momento de isolamento social, é extremamente importante oferecer à população canais por meio dos quais possam dialogar sobre a garantia de direitos e esclarecer suas dúvidas.

“Agradecemos o convite da Equatorial Piauí para que possamos dialogar sobre os direitos da população carente em relação aos serviços de fornecimento de energia elétrica, em especial nesse momento de pandemia que estamos vivenciando, em que a população está sendo orientada a permanecer em casa em isolamento social e, consequentemente, aumentando o consumo da energia elétrica para que possa fazer seus afazeres diários. Aliado a este aumento do consumo, corremos o grande risco de termos diminuição da renda dessa população que muitas vezes é autônoma, vive de pequenos serviços informais e está com sua renda prejudicada nesse período. Sabemos que foram tomadas algumas medidas no âmbito federal para tentar amenizar essa situação e é muito importante que a população seja esclarecida acerca dessas medidas, para saber quais são seus direitos”, afirma Ângela Barros .

Próxima notícia

Dê sua opinião: