Queda no FPE

Redução de R$ 79 milhões no FPE ameaça a folha e no 13º do Estado

Fazenda e Administração discutem saídas para não atrasar salários de servidores


Wellington Dias com o coordenador de Infraestrutura do Banco Mundial, Paul Procee

Wellington Dias com o coordenador de Infraestrutura do Banco Mundial, Paul Procee Foto: André Oliveira

Enquanto o governador Wellington Dias permanece em Brasília, tratado de assuntos de interesses do Piauí, a equipe econômica do governo se desdobra buscando encontrar alternativas para conseguir honrar os compromissos, principalmente o pagamento em dia da folha de pessoal e o 13º. A ordem do governador é manter os salários dos servidores estaduais em dia. Como? É essa questão que vem tirando o sono do governo e preocupa os servidores.  

Os secretários de Administração e Previdência, Merlong Solano, e de Fazenda, Rafael Fonteles, discutiram, na manhã desta quinta-feira (13), no Palácio de Karnak, impacto nas finanças do Estado, a redução do repasse do Fundo de Participação, que caiu R$ 79 milhões em junho.

Essa queda ameaça o pagamento da folha de pessoal e o 13° salário. “Ainda não conversei com o secretário de Fazendo sobre isso. É uma dificuldade adicional muito significativa. Isso pode dificultar a previsão das reservas para o 13º salário. Da maneira como planejamos o fluxo de caixa, todo mês reservamos algo para o 13º. A determinação do governador é para não atrasar a folha", adiantou o secretário Merlong Solano.

O secretário conversou com o jornalistas, que foram ao Palácio de Karnak acompanhar a entrega à vice-governadora Regina Sousa pelo corregedor-geral de Justiça, desembargador Hilo de Almeida, da minuta de Projeto de Lei, a ser encaminhado à Assembleia Legislativa, dispondo sobre a Política de Regularização Fundiária do Estado do Piauí.

Merlong Solano rebateu a acusação da oposição no Legislativo de contratação de comissionados mesmo com o Estado no limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal. “No dia 2 de maio o governador exonerou os comissionados. Agora ocorre a recomposição da equipe. São 3.100 comissionados que fazem a estrutura do estado. Depois das exonerações, não atingimos esse número”, argumentou Solano.

Sobre o que o governo vai fazer para superar mais essa dificuldade de caixa para pagar as despesas essenciais do Estado, o secretário vai aguardar a chegada de Wellington Dias, ainda nesta quinta-feira, para se posicionar sobre a redução do FPE. Dias viaja nesta sexta-feira (14) e cumpre agenda na cidade de Bom Jesus, no extremo Sul do Piauí.  

Próxima notícia

Dê sua opinião:

Sobre a coluna

Paulo Pincel

Paulo Pincel

Paulo Barros é formado em Comunicação Social-Jornalismo/UFPI; com Especialização em Marketing e Jornalismo Político/Instituto Camilo Filho

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Enquete

Diante dos últimos acontecimentos, qual Poder está em mais descrédito?

ver resultado