Política

Universitário é brutalmente espancado em Teresina

Dez homens agrediram Lenilson Bezerra, que estava vestido de vermelho
Fonte: Da Redação 07/10/2018 13:11
O vídeo com a agressão foi publicado no Faceboook O vídeo com a agressão foi publicado no FaceboookFoto: Montagem/Paulo Pincel

O estudante universitário e servidor público da Secretaria de Estado da Saúde, Lenilson Bezerra, 24 anos, foi brutalmente agredido na noite de sábado (6), na Avenida Barão de Castelo Branco, na altura do elevado no cruzamento com a Avenida Higino Cunha, no bairro Ilhotas, em Teresina. Lenilson foi retirado da moto e surrado por um grupo de pelos menos dez seguidores do candidato a presidente pelo PSL, ex-capitão Jair Bolsonaro, que estavam em uma carreata. Segundo postagens no Facebook, o espancamento aconteceu depois de uma tentativa de roubo de um celular.

A versão do pai da vítima é outra. Paulo Bezerra, o “PeJotta”, também servidor público do Estado, contou que o filho tinha ido deixar um amigo no trabalho, num posto de combustível na Avenida Marechal Castelo Branco. Quando retornava para casa, teria sido provocado pelos participantes da carreata por estar vestido numa camiseta vermelha. O pai assume que o rapaz reagiu às provocações e foi cercado por mais de dez homens. Retirado da moto, Lenilson passou por uma sessão de espancamento. Foram muitos socos e chutes. Na confusão, o celular de Lenilson foi roubado, reclama Paulo Bezerra.

Paulo Bezerra postou nas redes sociais sua indignação de ver o filho covardemente agredido e depois ser acusado de tentativa de roubo de um celular nas redes sociais. Uma jovem que estaria na carreata postou na internet a denúncia de que dois homens numa moto tentaram roubar o seu celular, no momento em que ela filmava a carreata, mas não há uma só imagem mostrando a suposta tentativa de roubo. "Isso é uma grande mentira. Eles postaram isso para tentar justificar essa violência covarde", rebateu Pejotta.

“O Olha a que ponto chegarmos, ainda em plena CAMPANHA já estão tirando nosso direto de ir e vir nem usar roupa que escolhemos podemos, o garoto agredido no vídeo é meu filho, ele usa vermelho mais não significa que provocava ninguém, agressores odiosos covardes Bolsonarista , agrediram e gritavam palavras de ódio contra petistas e ainda pra justificar tal agressão produzem vídeo com depoimento mentiroso alegando que ele teria tentado roubar um celular de alguém! Jamais faria isso, tem sido educado pra fazer o que é certo. É técnico em engenharia mecânica e formando de arquitetura, mesmo sendo pobre e negro sempre teve dignidade e nunca deixamos faltar nada. Inventaram tudo isso pra justificar essa agressão pura covardia! Isso só o começo vão inventar tudo que quiseram contra pessoa honesta! Lamentavelmente seremos todos vítimas de fascistas!”, escreveu o pai do estudante de Arquitetura da Universidade Estácio de Sá, no Facebook.

A denúncia de espancamento contra Lenílson Bezerra também será levada ao procurador regional eleitoral Patrício Noé da Fonseca, cobrando providências do Ministério Público Eleitoral.

A agressão foi filmada por pessoas que passavam pela carreata de Bolsonaro
A agressão foi filmada por pessoas que passavam pela carreata de Bolsonaro [Fotos: Reprodução/Facebook]

Ofensas e ameaças

Depois da postagem da matéria sobre a agressão a Lenilson Bezerra, o PORTAL PIAUIHOJE.COM passou a ser hostilizado e ameaçado na página do Facebook. Foram várias postagens ofensivas, justificando a agressão ao universitário, repetindo que ele teria tentado roubar o celular de uma jovem durante a carreata.

O portal se exime de qualquer juízo de valor, apenas noticiou um fato registrado em vídeo e amplamente divulgado, compartilhado nas redes sociais no Brasil e em em vários países do mundo.

Algumas das expressões usadas contra o portal são impublicáveis. Nos reservamos o direito de não reproduzir o discurso dessas pessoas. O departamento jurídico do portal PIAUIHOJE.COM está analisando o conteúdo das mensagens para eventuais recursos na Justiça.

Comentários