Mundo

Mortos por ciclone se aproximam de mil em Moçambique e Zimbábue

Mais de dois milhões de pessoas - 1,85 milhão delas em Moçambique - foram afetadas
Fonte: AFP | Editor: Redação 11/04/2019 08:41
Ciclone CicloneFoto: Reuters/Siphiwe Sibeko

O número de mortes provocadas pelo ciclone Idai, que devastou Moçambique e Zimbábue no mês passado, está próximo de mil, de acordo com os últimos números divulgados pelos dois governos.

Na terça-feira, o Zimbábue atualizou seu balanço para 344, enquanto Moçambique disse que as mortes registradas foram 602, levando o total para 946. A ministra da Informação do Zimbábue, Monica Mutsvangwa, disse a repórteres que 257 pessoas listadas como desaparecidas quando fortes ventos e inundações atingiram o país, na noite de 14 de março, agora são consideradas mortas.

"O processo de busca e recuperação está agora restrito à recuperação. As pessoas desaparecidas agora podem ser consideradas mortas", disse.

Mais de dois milhões de pessoas - 1,85 milhão delas em Moçambique - foram afetadas pelo Idai. A ONU descreveu o ciclone como "uma das mais mortíferas tempestades já registradas no hemisfério sul".

A organização está buscando US$ 282 milhões (251 milhões de euros) para financiar uma assistência de emergência nos próximos três meses. Antes da chegada do ciclone, as inundações no Malawi afetaram cerca de 900.000 pessoas e custaram 60 vidas, segundo o governo.

Comentários

Apoio: