Polícia

Criança atingida com pedra teve hemorragia cerebral e afundamento do crânio

O pai da criança foi preso em flagrante
Fonte: Polícia Militar | Editor: Alinny Maria 03/03/2018 12:45
Pai foi preso em flagrante Pai foi preso em flagranteFoto: Divulgação

Atualizada às 18h30

A Assessoria de Comunicação do Hospital de Urgência de Teresina (HUT), informou que a criança de 1 ano e 7 meses, atingida por uma pedra lançada pelo próprio pai na noite dessa sexta-feira (2), foi submetido a uma cirurgia e seu quadro clínico é estável.

A criança foi transferida para a Clínica Pediátrica do Hospital Getúlio Vargas, atualmente está consciente e orientada. Segundo o laudo médico, a criança teve afundamento do crânio e hemorragia no cérebro.

A criança estava no colo da mãe quando foi atingida por uma pedra arremessada pelo pai, que pretendia acertar a esposa.

Matéria original às 12h45min

Pai lança pedra em filho de 1 ano e criança fica em estado grave

Uma criança de inicias F.D.F.D, de apenas 1 ano e 7 meses, de idade ficou gravemente ferida após ser atingida com uma pedra arremessada pelo próprio pai na noite de ontem (2) no município de Altos. Segundo a Polícia Militar, o pai identificado como Ericco Danillo da Silva pretendia acertar o objeto na mãe do menino, Ana Tacia Ferreira Pereira.

A Polícia Militar foi acionada por vizinhos, que informaram sobre uma briga de casal. A polícia recebeu informações que uma criança ficou ferida e que foi levada por parentes ao hospital de Altos. Devido ao estado grave da criança, ela foi transferida imediatamente para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT), onde permanece internada em estado grave.

Os policiais se deslocaram até a residência dos pais, e Ericco já havia deixado local. A polícia fez buscas e o pai foi localizado em uma construção nos fundos da sua residência, dormindo tranquilamente. Ele conduzido juntamente com sua esposa até a Central de flagrantes em Teresina.

A mãe foi ouvida e liberada, já o pai foi autuado em flagrante por lesão corporal de natureza grave agravada pelo fato da criança ser ascendente do acusado.

Comentários