Geral

Bandidos roubam e incendeiam igreja católica em Floriano

O santuário João Paulo II, em Landri Sales, também foi alvo de ação criminosa
Fonte: Redação Piauí Hoje | Editor: Alinny Maria 14/02/2018 14:08
Igreja católica é alvo de bandidos Igreja católica é alvo de bandidosFoto: Divulgação

Bandidos invadiram a Igreja de São Sebastião, situada em Floriano, a 244 km de Teresina, na tarde de segunda-feira (12) e causaram grande destruição. Além de furtar os objetos valiosos, os criminosos ainda atearam fogo no templo religioso.

Os criminosos entraram na igreja após destelhar e quebrar uma parte do forro de gesso. Foram roubados microfones, sistema de som, objetos litúrgicos, imagem religiosa e até o sacrário onde estavam as hóstias consagradas da Eucaristia da paróquia.

Na saída, eles ainda incendiaram o salão paroquial. O fogo danificou destruiu vestes litúrgicas e documentos da paróquia. O caso foi registrado na Polícia Civil de Floriano. A população ficou bastante revoltada.

Igreja católica é alvo de bandidos

Outro caso

Ainda no Sul do Estado, criminosos invadiram o santuário João Paulo II, em Landri Sales, e depredaram a imagem de Jesus Cristo crucificado.

Bispo repudia ataques

Na manhã desta quarta-feira (14), o Bispo da Diocese de Floriano, Dom Edivalter Andrade, publicou uma nota repudiando os ataques criminosos contra o santuário da cidade de Landri Sales e o incêndio criminoso contra a Igreja de São Sebastião, no Conjunto Pedro Simplício.

Em nota o bispo disse que “os ataques sofridos pelos católicos da Diocese de Floriano no tratamento desrespeitoso de seus objetos sagrados revelam mais uma triste face da violência que é ainda mais grave e preocupante quando atinge o ser humano que é a imagem e semelhança de Deus”.

Veja a nota na íntegra:

Nos últimos dias do feriado prolongado de carnaval, nós católicos da cidade de Floriano-PI, Landri Sales-PI, e de toda a Diocese de Floriano, fomos surpreendidos com os ataques criminosos ao templo da Comunidade São Sebastião, no Conjunto Pedro Simplício, a profanação da Eucaristia nesta mesma igreja e a destruição da imagem do Cristo Crucificado do Santuário localizado no centro da cidade de Landri Sales.

Estes fatos nos fizeram recordar recentes acontecimentos de repercussão nacional que revelaram a degradação moral que marca a história recente do nosso país com suas conseqüências na política, na economia e na religião.

Mais uma vez temos que manifestar nossa tristeza, indignação e nosso repúdio diante da total falta de respeito aos símbolos sagrados da nossa fé e constatar que a violência está fora do controle das autoridades.

Os ataques sofridos pelos católicos da Diocese de Floriano no tratamento desrespeitoso de seus objetos sagrados revelam mais uma triste face da violência que é ainda mais grave e preocupante quando atinge o ser humano que é a imagem e semelhança de Deus (cf. Gn 1,27), templo de Deus e morada do Espírito Santo (cf. 1 Cor 3,16).
O templo e a Eucaristia foram profanados e isto nos entristece como nos entristece também perceber o crescimento da violência praticada em todos os níveis da sociedade e reforçada por um sistema político e econômico injusto que vigora em nosso país, tornando ainda mais distante o dia da paz.

Contudo, não perdemos a esperança. Continuaremos no caminho do seguimento de Jesus, Príncipe da Paz, que nos recomenda como remédio para combater o mal, o amor que Ele tem por todos nós e que manifestou até mesmo aos seus algozes. O Cristo desrespeitado e agredido na Eucaristia e no Crucifixo destruído, está sendo também desrespeitado e agredido nas pessoas e, mais ainda nos pobres e excluídos com seus direitos negados e sua dignidade humana violada.

Como seguidores de Jesus, não nos cabe erguer a bandeira do ódio. Cabe a nós o amor incondicional que não é fácil, mas é possível praticar.

Por isso, assumiremos com muito empenho a Campanha da Fraternidade 2018 com o tema “Fraternidade e Superação da Violência” e o lema “Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8). Assim esperamos, com toda a Igreja, “construir a fraternidade, promovendo a cultura da paz, da reconciliação e da justiça, à luz da Palavra de Deus, como caminho de superação da violência” (Texto Base CF/2018).

Aos párocos Pe. Nylfrânyo, Pe. Ivam e ao Povo de Deus das Comunidades São Sebastião e Santa Cruz nossa solidariedade e, pelos malfeitores, a nossa prece suplicante para que a Misericórdia de Deus os alcance. Rezemos também para que nós mesmos, cristãos e cidadãos brasileiros, saibamos dar nossa corajosa contribuição na construção de uma sociedade com menos exclusão, mais acolhimento e oportunidades de crescimento para todos, a fim de que a violência e todo mal sejam cortados pela raiz.

Ao término da restauração do templo, do sacrário e do crucifixo – o que deverá acontecer também com a nossa ajuda – celebraremos uma missa de desagravo e reinstalaremos a Capela do Santíssimo com a devida reposição dos demais símbolos religiosos.

Com a ternura de Cristo, o meu abraço a todos e todas!

Dom Edivalter Andrade, Bispo Diocesano.

Comentários