Polícia

Adolescente pode ter mentido na delegacia sobre estupro

A diretora da escola desmentiu a versão contada pela menor
Fonte: Portal do Águia 03/10/2018 10:23
Escola onde a adolescente estuda Escola onde a adolescente estudaFoto: Portal Litoral Notícias

Nessa segunda-feira (2) circulou na imprensa a notícia de que uma adolescente de 15 anos foi raptada e estuprada por dois homens no município de Parnaíba, no litoral do Piauí, na manhã de segunda-feira (1º). A versão contada pela garota repercutiu e chegou aos ouvidos da direção da Unidade Escolar Lauro Andrade Correia, onde a menor estuda e disse que foi estuprada porque teria chegado atrasada na escola e uma funcionária negou que ela entrasse.

A adolescente chegou a registrar Boletim de Ocorrência e contou que foi abordada por dois homens, e jogada dentro de um carro, sendo levada a um local desconhecido e estuprada. A menor disse ainda que havia pegado uma van no bairro onde mora, no Broder Ville, em Parnaíba, para ir à escola. Na ida a van teria quebrado e ela decidiu completar o trajeto a pé. Chegando atrasada na escola, uma funcionária não permitiu que ela entrasse, então a garota resolveu ir até uma praça para que pegasse a van de volta para casa, segundo relatos da adolescente.

No caminho para a praça, a menor teria sido raptada por dois homens em um carro de cor preta e modelo prisma. Após o suposto abuso sexual, ela foi abandonada e comunicou o caso ao seu padrasto, que a levou para registrar B.O na delegacia.

Outro lado da história

A direção da Escola Lauro Andrade Correia desmente a menor e relata que a jovem nunca apareceu na unidade escolar na tarde de segunda-feira (1º), horário no qual a adolescente estuda, e não pela manhã como ela contou à polícia.

A diretora disse ainda que viu a adolescente na praça próximo a escola na companhia de outra adolescente, e que de imediato questionou o que elas estavam fazendo ali sentadas e porque não estavam em sala de aula.

A escola disse que já chamou a atenção da menor pelo comportamento e porque ela andava mal acompanhada. A diretora também registrou um Boletim de Ocorrência sobre a acusação da menor em que envolve o nome da escola Lauro Andrade Correia.

O Portal do Águia também foi em busca dos responsáveis pelo transporte coletivo de nº18, que a adolescente disse ter pego e quebrou no caminho. O motorista disse que o transporte saiu da garagem por volta das 5h e trabalhou até às 22h, e em momento algum o seu veículo quebrou nesse período, como relatou a menor no Boletim de Ocorrência.

O caso segue em investigação da Polícia Civil de Parnaíba.

Comentários