PARNAÍBA EM FOCO

Por José Mailson Marques

O Brasil em Parnaíba

Quando estava prestes a me mudar de São Paulo a Parnaíba em 2014, as informações que tinha além de reconhecida como a Capital do Delta e cidade dotada de belezas naturais sem comparações, os seus moradores afirmaram ser uma cidade em processo acelerado de crescimento econômico e social, baixo índice de violência e custo de vida baixíssimo. Por ironia do Destino o ano seguinte (2015) foi o ano mais violento do estado do Piauí e evidentemente também de Parnaíba, um espelho do índice de violência no Brasileiro.

Desde então comecei a comparar o cenário brasileiro com os acontecimentos parnaibanos e cheguei à conclusão de que em Parnaíba temos um pequeno Brasil, este brasil é refletido em todos os sentidos, neste texto abordarei o cenário da violência nos últimos casos locais. No entanto economicamente e social não deixa de ser diferente.

Temos casos de violência em todo cenário nacional, assassinatos cruéis, intervenções militares, casos de pedofilia, corrupção e tantos outros. O debate então é: será que em nosso paraíso temos um pequeno Brasil? Impossível responder isto sem citar o porto de Luís Correia que semelhante a transamazônica ainda é uma estrada de barro, impedindo regiões de escoar suas produções, trazendo a falta de investimento privado e criando barreiras ao desenvolvimento.

Recentemente tivemos a morte de um criminoso conhecido em todo estado, vítima de troca de tiros com a polícia, trouxe a Parnaíba um cenário semelhante aos vividos no Rio de Janeiro e em outras metrópoles brasileiras, em todos os casos há um movimento popular levantando o famoso ditado “bandido bom é bandido morto”. A sociedade parnaibana formando a brasileira já não acredita mais na ressocialização dos indivíduos que vivem à margem da lei.

Temos conhecimentos de casos de assassinatos cruéis como da Eliza Samudio, que teria sido esquartejada e jogada a cães, ou mesmo o caso do Marcos Kitano, assassinado e esquartejado por sua então esposa. Em Parnaíba recentemente tivemos casos de assassinatos envolvendo a decapitação de dois corpos, caso inusitado, termômetro da violência no município e reflexo da violência no Brasil inteiro.

Há ainda casos de suspeito assedio de menores praticado por um professor conhecido da cidade, além de centenas de assaltos semanais, aumento do tráfico de drogas, violência domesticas e demais. Fato é, a sociedade parnaibana está vivendo em uma cidade pequena com reflexos de problemas genéricos, vivendo realidade de grandes centros, sofrendo de problemas sociais dois quais a população e o poder público não estão preparados e não possuem solução a curto prazo. Semelhante a uma campanha de uma rede de televisão, “o que a população quer para o Brasil”, afirmo, a sociedade parnaibana deseja a Parnaíba uma cidade atrativa ao turismo, sem violência, com emprego, saúde de qualidade e acima de tudo que a honestidade seja presente não apenas entre os seus moradores, mas acima de tudo entre as autoridades que governam e comandam a segunda maior cidade do Estado e a mais querida do Brasil.

Comentários

PARNAÍBA EM FOCO

José Mailson Marques

José Mailson Marques da Graça é acadêmico do Curso de Ciências Econômicas na Universidade Federal do Piauí, pesquisador da economia parnaibana onde desenvolve pesquisas principalmente na área do empreendedorismo e inflação local. É colunista de economia e política do site IGSweb.com em Pernambuco, colunista do portal Piauihoje.com e também é empresário da área da educação profissionalizante.

Sobre o Blog

O blog trás noticias e reflexões que envolvem política e economia na região norte do estado.

Apoio: