Governador adota novos critérios e mudará secretários antes da Semana Santa; alguns serão mantidos

Governador Wellington Dias reunido com deputados e secretários Governador Wellington Dias reunido com deputados e secretáriosFoto: Jorge Bastos/CCom

Com a aprovação da reforma administrativa na Assembleia Legislativa, o governador Wellington Dias (PT) deverá começar as mudanças no secretariado na próxima semana e concluir a formação da nova equipe de auxiliares até o final da primeira quinzena de abril, antes da Samana Santa.

A informação é de um deputado da base aliada, ansioso para a definição dos nomes dos secretários e o preenchimento de cargos em órgão estaduais na capital e no interior do Estado.

Nesta quarta-feira (27.03) o governador nomeou o deputado federal Capitão Fábio Abreu (PTB) para a Secretária de Segurança. A posse de Fábio será nesta quinta-feira (28.03). O ex-secretário de Governo, Merlong Solano assume a vaga do capitão na Câmara dos Deputados.

De acordo com fonte do repórter no Palácio de Karnak, Merlong vai ficar na Câmera Federal por três meses, quando deve retornar para assumir nova secretária no governo de Wellington Dias. Quando retornar, a vaga de Merlong será ocupada pelo segundo suplente, Paes Landim (PTB).

RETOMAR CONVERSAS - Um parlamentar petista com bastante credibilidade junto ao governador informou que Wellington Dias, neste final de semana, vai retomar as conversas para completar as mudanças no secretariado e nos demais órgãos da administração direta.

Secretários Antonio Neto (Planejamento) e Rafael Fonteles (Fazenda) com o governador Wellington Dias SECRETÁRIOS MANTIDOS - Alguns secretários vão ser mantidos. O governador já convidou para permanecer nos seus lugares os secretários Rafael Fonteles (Fazenda), Antônio Neto (Planejamento); o recém empossado Osmar Júnior (Governo) e Fábio Abreu (Segurança). Podem ser mantidos também os secretários Mauro Eduardo (Ceid), Castro Neto (DER), Guilhermano Pires (Transportes) e Daniel Oliveira (Justiça).

NOVOS CRITÉRIOS - Para não ficar sujeito a interferências externas, o governador terá como da sua cota pessoal a indicação dos titulares das secretarias consideradas chaves para a governança, como Governo, Fazenda, Administração, Saúde, Educação e Segurança.

As demais secretarias deverão seguir a proporcionalidade da votação dos partidos da coligação que o reelegeu. O PT, partido do governador, foi o primeiro lugar, com 325 mil votos. Em seguida vem o PP (290 mil votos) e o MDB (280 mil) e aí segue. O critério deve ser seguido para os demais cargos de primeiro escalão.

O governador também já tem um novo critério de preenchimento de todos os cargos, do primeiro ao mais baixo escalão, de secretário e vigia de escolas. Ele já disse a interlocutores que não ficará refém de ninguém e que para todos os cargos vai exigir dos partidos os currículos de pelo menos três pessoas para cada cargo a ser nomeado por ele e seus auxiliares.

Ou seja, o que Wellington Dias tem dito é que quem ficar com direito de indicar gente para qualquer cargo terá de apresentar três nomes com os devidos currículos. E caberá ao governador escolher quem quer na sua equipe. Os nomeados terão seis meses para mostrar serviço. Se o desempenho do nomeado ficar abaixo das metas, será substituído sem maiores discussões.

CARGOS REGIONAIS - Quanto aos cargos regionais, como as diretorias regionais da Saúde, da Educação e de outros órgãos como Emater, por exemplo, o governador vai ouvir todos os aliados e poderá adotar um novo critério para preencher esses cargos. A proporcionalidade de votos deve ser adotada.

Hoje, os ocupantes desses cargos são definidos pelo próprio governador sem maiores exigências, o que acaba cedendo para os aliados e gerando queixas dos partidos mais próximos, como o próprio PT. O governador pode e quer se livrar dessas querelas usando a proporcionalidade eleitoral dos partidos da base aliada.

CARGOS NOS MUNICÍPIOS - O abacaxi dos cargos não acabam por nas diretorias e outros órgãos rregionais. Existem também os cargos nos municípios. Que critérios serão adotados? Os cargos ficam com deputados da base aliada mais votados em cada município? Ou isso precisa mudar, uma vez que ocorrem muitos casos de deputados que tiveram muitos votos em determinados municípios, mas as bases desses parlamentares não votaram no governador? O que fazer? E novamente a proposta é a proporcionalidade de votos.

Alguns parlamentares e auxiliares do governador já tem sugestões para os critérios de preenchimento dos cargos nos municípios. O PT deverá se reunir nesses dias para discutir proposta para essa questão dos critérios de ocupação de cargos pelos partidos da coligação que reelegeu Wellington Dias.

CHACOTAS DOS DERROTADOS - Os petistas querem evitar o que mais ocorre hoje. Embora o partido seja o vencedor da eleição majoritária e proporcional, em muitos municípios os adversários do PT e do governo é quem dão as cartas e mandam nos cargos, coisas que jamais existiriam em outros governos, como nos do PFL, PMDB e outros.

CAÇA ÀS BRUXAS - O PSDB de Teresina, por exemplo, não abre um centímetro para mando de outros partidos. Nós governos de Wilson Martins (PSB) e Zé Filho (PMDB na época), houve uma "caça às bruxas". Filiados, militantes, simpatizantes e até mesmo pessoas apenas com ligações de amizades com petistas foram defenestrados.

PORTEIRA FECHADA NÃO - Também parece que o governador Wellington Dias resolveu mudar essa situação. E uma coisa já está definida: não existe mais esse negócio de entregar ao PT ou aos aliados secretarias de "porteira fechada". Isso o governador já deixou claro para todos quando discutiu demandas de deputados do MDB.

FOGO AMIGO

O governador precisa mesmo mexer no secretariado e outros auxiliares. Alguns gestores fazem questão de passar a imagem de que o governo é caloteiro e que o Estado está quebrado e sem solução. Parece mesmo que o eleito faz força para sanar os problemas. Assim, com esses amigos, quem precisa de inimigos, né mesmo?

ENGOLE O CHORO!!!

Pessoas "inteligentes" que votaram no Bolsonaro estão morrendo de vergonha. Agora é tarde, né? Falta de aviso e opção não foi...

CNH DEVE SER GRÁTIS

A Carteira Nacional de Habilitação é um documento público, como a RG e o título de eleitor. Portanto, deve ser gratuita. Até a escola para aprende dirigir e tirar a habilitação deve ser grátis. Quem não quiser esperar por vaga que recorra às auto escolas particulares, que devem ser desligadas, seguir normas oficiais com fiscalização rígida.

COMEMORAR A TORTURA

Ministério Público Federal diz que Bolsonaro atenta contra o Estado de Direito ao comemorar golpe de 64!
Ele não deve ter noção do que seja a tortura, assassinatos e prisões ilegais. Ou sabe?

Comentários

BLOG DO BRANDÃO

Luiz Brandão

Luiz Brandão é jornalista formado pela Universidade Federal do Piauí. Está na profissão há mais de 35 anos. Já trabalhou em rádios, TVs e jornais. Foi repórter das rádios Difusora, Poty e das TVs Timon, Antares e Meio Norte. Também foi repórter dos jornais O Dia, Jornal da Manhã, O Estado, Diário do Povo e Correio do Piauí. Foi editor chefe dos jornais Correio do Piauí, O Estado e Diário do Povo. Atualmente é diretor de jornalismo do portal www.piauihoje.com

Sobre o Blog

O blog traz comentários e pensamentos do autor sobre notícias de várias áreas e setores, como maior dedicação aos acontecimentos políticos e sociais do Piauí, do Brasil e do Mundo.

Apoio: