Base governista pega fogo com declarações de aliados

presidente do PP no Piauí, deputado estadual Júlio Arcoverde presidente do PP no Piauí, deputado estadual Júlio ArcoverdeFoto: Paulo Pincel

O clima esquentou na base governista - quase a ponto de ebulição, de um incêndio de grandes proporções - nesta quinta-feira (7), depois que circulou a informação de que o governador Wellington Dias tinha convencido o PT a aceitar o “chapão” proporcional, com todos os partidos na mesma chapa para deputado estadual e federal, em troca da manutenção da candidatura da senadora Regina Sousa à reeleição.

O presidente do Progressistas no Piauí, deputado estadual Júlio Arcoverde, foi curto e grosso: "isso não existe”. “Não vou fazer uma troca por conta de uma coisa que não passa na cabeça de ninguém. O governador é que tem que conduzir o melhor para ele. Agora não pode querer exigir de nós, dizendo que vai dar o chapão para colocar a Regina. Tenho certeza que [o governador] não vai fazer essa proposta. Ele sabe com quem está mexendo", advertiu Arcoverde, em tom de ameaça, como se falasse em nome do partido do senador Ciro Nogueira e da vice-governadora Margarete Coelho.

Júlio lembrou que ontem (6), esteve com o governador Wellington Dias em uma solenidade e lá não foi tratado nada sobre esse assunto.

"Não existe nada definido com relação à chapa majoritária. Temos uma conversa com o governador e todos os partidos da base apoiam, que primeiro têm que definir a chapa proporcional para depois tratar da majoritária. Se for dentro da ideia que o governador diz, que cada partido tem que ter um representante na chapa majoritária, não acredito que o governador agora venha com a proposta de dois [candidatos]. Se a Regina Sousa for para a chapa [majoritária], vamos pleitear a permanência também da vice-governadora Margarete Coelho na majoritária”, avisou o deputado.

O presidente do PP revelou, em alto e bom mtom, que as duas vagas para o PT não agradam os Progressistas. "Se o critério é um por partido, como teremos dois de um mesmo partido [PT]? O governador passou quatro anos dizendo que se mudasse a chapa seria um de cada partido. Não vou aceitar, faltando três meses da eleição, ele falar que o partido dele vai ter duas vagas", acrescentou Júlio Arcoverde, em entrevista à TV Cidade Verde. "O Progressista não tem problema com o chapão. Quem tem é o MDB. Tenho acerto com o PDT, PR e PTB para sairmos sozinho. Não tem problema nenhum".

PDT

O presidente do Partido Democrata Trabalhista no Piauí, ex-deputado federal Flávio Nogueira, também garante que a chapa majoritária ainda não está definida. “Conversei com Themístocles Filho (MDB), com o senador Ciro Nogueira (PP), e neste momento o mais importante é a eleição para deputado federal. Qualquer que seja o candidato a vice, a senador, nós estamos apoiando. Então se nós estamos apoiando, nós temos que apoiar uns aos outros”, defendeu.

Comentários