SUPLENTE

Ziza Carvalho volta para Alepi e diz que não disputará prefeitura de Simplício Mendes

Ziza Carvalho afirmou que o PT deve disputar eleição em Teresina e que ele não será o candidato do partido em Simplício Mendes


Deputado estadual Ziza Carvalho (PT)

Deputado estadual Ziza Carvalho (PT) Foto: João Albert

Um dia após assumir cadeira como suplente na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), o deputado estadual pelo PT, Ziza Carvalho, negou que poderá disputar a prefeitura de Simplício Mendes, sua base eleitoral no estado e admitiu que o Partido dos Trabalhadores deve pleitear o Palácio da Cidade em Teresina.

Ao negar que irá disputar a prefeitura de Simplício Mendes, Ziza afirmou que em 2020 será escolhido o nome para o município.

“Meu nome nunca foi colocado à disposição do grupo. Não é uma pretensão minha ser candidato lá a prefeito de Simplício Mendes, agora temos bons nomes do nosso grupo, inclusive, mais de um, acho que dentro do nosso grupo vamos escolher a partir do próximo ano um nome de consenso para que a gente ganhe mais uma vez a eleição e a cidade continue sendo bem administrada”, assegurou.

Já em Teresina, Ziza disse que não participou do processo que resultou na escolha do nome de Fábio Novo para disputar o Palácio da Cidade.

Não opino aqui em Teresina porque sou eleitor de Simplício Mendes, inclusive estava afastado das discussões políticas porque estava em Brasília e não participei de todo esse processo de escolha do nome do deputado Fábio Novo, mas certamente é um nome relevante, tem história dentro do partido, fez um bom trabalho à frente da Secretaria de Cultura assim como o deputado Franzé, que tem perfil bastante adequado tecnicamente para candidatura a prefeito”, avaliou.

Ziza disse ainda que a base aliada do governador Wellington Dias tem bons nomes para o sucessão municipal na capital e que o PT, por ser oposição a Bolsonaro, deve lançar candidatura em todas as capitais brasileiras.

"Eu acho que a coligação que hoje faz parte da base do governador tem partidos com bons nomes para disputar a eleição. Acho que o PT, como grande partido de oposição ao Governo Federal, tem que se firmar como alternativa e para isso precisa ter candidatura, principalmente nas capitais. Para isso o PT deve ter candidato sim, embora outros partidos da base devam ter também", considerou.

Próxima notícia

Dê sua opinião: