EX-PREFEITO

Polícia começa a investigar a morte de Firmino Filho; câmeras serão periciadas

Mortes violentas são investigadas pelo departamento e, até o momento, não há hipóteses indicadas, porém, a principal suspeita é suicídio


Delegado Francisco Costa, o

Delegado Francisco Costa, o "Baretta", coordenador do DHPP Foto: PAULO PINCEL/PH

As investigações sobre a morte do ex-prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), estão a cargo do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil do Piauí.

O ex-prefeito foi encontrado morto no dia 6, em frente ao edifício Manhattan River Center, onde funciona uma sala do Tribunal de Contas da União (TCU), local de trabalho de Firmino Filho.

STF forma maioria para obrigar União a reativar UTIs em 5 Estados; Piauí está incluso

Aeroporto de Teresina é arrematado em leilão no bloco vendido por R$ 754 milhões

Segundo o coordenador do DHPP, delegado Francisco Costa, o Barêtta, mortes violentas são investigadas pelo departamento e, até o momento, não há hipóteses indicadas, porém, a principal suspeita é suicídio.

“Não podemos adiantar nada por enquanto, não divulgaremos informações até termos tudo esclarecido. O que podemos garantir é que buscamos a verdade e vamos dar uma resposta à sociedade. Não apenas por se tratar do ex-prefeito, mas na morte de qualquer pessoa, trabalhamos assim”, informou.

O DHPP deve receber laudo cadavérico, laudo pericial do local, imagens de câmeras de segurança, além de depoimentos e qualquer outra informação que ajude no caso. O prazo de entrega do laudo pericial completo é de dez dias.

Próxima notícia

Dê sua opinião: