PESQUISA

Pobreza amplia falta de acesso aos serviços de saneamento no Brasil, segundo estudo

Com abastecimento de água universalizado desde 2015, Timon apresenta realidade diferente de muitos municípios brasileiros


Falta de saneamento

Falta de saneamento Foto: Divulgação

Uma em cada quatro famílias brasileiras pertence à classe de renda de até R$ 1,9 mil mensal, que é a mais prejudicada no acesso ao saneamento básico. Segundo o estudo “As Despesas da Família Brasileira com Água Tratada e Coleta de Esgoto”, feito com base em dados de 2018 pelo Instituto Trata Brasil, 60% das famílias nessa mesma faixa de renda no Brasil não têm acesso à coleta de esgoto e 45,8% não têm acesso regular à água tratada.

Em Timon, cerca de 40 mil famílias têm rendimento médio mensal de até dois salários mínimos, de acordo com dados do IBGE. Mas a realidade na cidade é bem diferente da apontada no estudo. Hoje, 100% da zona urbana da cidade tem acesso à água tratada. A universalização do abastecimento aconteceu ainda em 2015, no primeiro ano de atividade da Águas de Timon, concessionária responsável pelo abastecimento de água e tratamento de esgoto no município.

Caminhão desgovernado desce ladeira, atropela e mata idoso no Sul do Piauí

Homem perde controle de moto em curva e morre na BR 222

Muro em construção desaba e mata pedreiro em Regeneração

“O acesso à água tratada com qualidade e regularidade significa mais dignidade e cidadania aos moradores. Principalmente nesse período de combate ao coronavírus, reforçamos o nosso compromisso em garantir saúde e qualidade de vida aos timonenses. Hoje, chega água tratada em todas as torneiras da zona urbana do município. E muito ainda será feito”, declara o diretor-presidente da Águas de Timon, Jacy Prado.

Durante esse ano, a empresa está realizando investimentos em esgotamento sanitário. Com o programa Timon Saneada II, haverá a ampliação de 3% para 33% na cobertura de esgoto do município até o ano de 2022, beneficiando diretamente 22 mil pessoas. Nessa primeira etapa, o programa prevê a construção de uma Elevatória de Esgoto, uma Estação de Tratamento de Esgoto e a realização de 7.575 novas ligações ao sistema, além da implantação de 33.000 metros de rede coletora e de 1.100 metros de linha de recalque.

A meta é que, até 2026, toda a zona urbana do município tenha tratamento de esgoto, com um investimento total de R$ 168 milhões. “Como embaixadores da saúde, nosso objetivo é trabalhar continuamente para assegurar o bem-estar do município, contribuindo com valorização imobiliária, incentivo ao turismo, preservação dos recursos naturais e, sobretudo, com a saúde da população. A ampliação da cobertura de esgoto é o caminho certo para Timon se tornar referência em saneamento no Maranhão”, finaliza Jacy Prado.

Fonte: Aguas de Timon

Próxima notícia

Dê sua opinião: