POLÊMICA

Beto Rego diz que mulher fica 'só o calango' após ter 3 filhos e entidades reagem

As entidades classificaram como machista o comentário do apresentador e divulgaram nota de repúdio


Apresentador Beto Rego

Apresentador Beto Rego Foto: Reprodução/TV Antena 10

Durante o programa 'Balanço Geral' exibido na TV Antena 10 nessa quinta-feira (07), o apresentador Beto Rego fez um comentário machista que logo causou reação nas entidades que lutam pelos direitos das mulheres. Nas redes sociais, Beto Rego já pediu desculpas e disse que quis enaltecer as mulheres do passado e não teve a intenção de ofender ninguém.

 "Oh, presta atenção! Não se faz mais mulher como antigamente. As mulheres de antigamente aguentavam as coisas mesmo. Tinha era 20 filhos! Uma mulher de hoje, se ela tiver três filhos, ela ta só o calango [...] Uma mulher hoje se ela tiver três meninos e se for normal, a primeira coisa que ela faz é uma períneo", declarou o apresentador durante o programa.

O programa tem grande audiência no horário de meio-dia e logo o comentário do apresentador repercutiu em todo o Estado. Centenas de mulheres se sentiram ofendidas e a Coordenadoria de Estado de Políticas Públicas para as Mulheres (CEPM) emitiu uma nota de repúdio informando que a fala de Beto Rego é "machista, que discrimina a maternidade, total desrespeito às mulheres, pois dissemina discurso de ódio com as expressões "não se faz mais mulheres como antigamente", ultrapassando todos os limites da liberdade de imprensa para cometer uma violência verbal televisionada", diz trecho da nota.


A CEPM disse ainda que os programas de televisão devem informar a população piauiense e não incentivar os telespectadores a formularem opiniões que interferem negativamente na moral, ética e comportamento da mulher na sociedade. A CEPM ressaltou que com esse comentário, Beto Rego tentou reduzir a mulher a objeto sexual, enfatizando que o apresentador pratica uma violência que atinge todas as mulheres e deve ser repudiada por toda a população piauiense. 

Após pedir desculpas, Beto Rego disse que não foi bem entendido e que vai se retratar nesta sexta-feira (08) na emissora, explicando o caso. "Gente, venho aqui pedir desculpas às pessoas que não entenderam o que falei, e como quis me expressar, jamais quis execrar as mulheres que muitas vezes defendi na televisão. Sou pai, avô e respeito as mulheres e tenho admiração. Quis enaltecer as mulheres do passado, mas não tive intuito de ofender ninguém. Já mostrei várias matérias de homens atacando mulheres, e cobrei providências das autoridades. Falei na Tv contra feminicidas, e sempre lutei por esta sociedade, em muitas das vezes até me arriscando. Peço desculpas se ofendi pessoas, e irei me retratar na Televisão amanhã. Não sou bandido, não tenho crimes nas costas, e jamais quis ofender as mulheres. Acho que não fui entendido, mas peço desculpas pelo mal entendido, e volto a salientar que amanhã me retratarei na emissora, explicando o caso. Boa noite, obrigado o apoio das pessoas, e estou a disposição para defender as mulheres todos os dias na tv como sempre fiz. Fui criado por uma mulher maravilhosa, não tive pai, ela foi meu tudo. Tudo devo a Deus e as muitas mulheres que fizeram e fazem parte da minha vida".

Antes, o apresentador se explicou dizendo que o quis dizer na TV é que as mulheres do passado parecem que foram privilegiadas geneticamente. "As pessoas não entenderam o que quis dizer na tv. Eu falei que as mulheres do passado parecem que foram privilegiadas geneticamente. Muitas tinham até 20 filhos e não sentiam uma dor na unha.
Quem não conhece alguma vozinha que tem dez, quinze filhos? O povo de hoje, mulheres e homens, não tem a mesma alimentação do passado. Parece que hoje temos pessoas mais frágeis do que antes. Foi isso que quis dizer, não desrespeitei as mulheres e nem faco isso, quis sim enaltecer as guerreiras do passado. Mas fui mal entendido, execrado, e vou tomar providências com algumas pessoas que não entenderam e caluniaram, difamaram gratuitamente. Defendi e defendo mulheres, briguei muito contra o feminicídio, e direito das mulheres no meu estado, e vou continuar fazendo. No mais, meus respeitos a todas as mulheres, e peço às pessoas que procurem entender antes de dar algum tipo de opinião. Pois a palavra dada não volta. Peço desculpas às pessoas que se sentiram ofendidas, mas não foi minha intenção", esclarece Beto Rego.

Veja a nota da CEPM:

A Comissão da Mulher Advogada da OAB/PI, em conjunto com o Instituto Nacional de Combate à Violência Familiar (INCVF), O Tamo Juntas e o Grupo delas, também repudiaram a atitude do apresentador.  Confira:

MANIFESTAÇÃO PÚBLICA

A Comissão da Mulher Advogada da OAB – PI, em conjunto com o Instituto Nacional de Combate à Violência Familiar (INCVF), O Tamo Juntas e o Grupo delas, vem a público manifestar repúdio ao apresentador Francisco Alberto de Araújo e Silva Rego (Beto Rego) e ao Programa Balanço Geral PI da Antena 10, exibido hoje, 07 de maio.
Em tempos atuais é inadmissível posturas e manifestações, nas quais o jornalista Beto Rego objetifica a mulher, evocando o machismo que ataca as mulheres de modo cruel e extremamente agressivo. O comentário misógino é inadmissível na conduta de qualquer jornalista, em qualquer ambiente profissional e no conteúdo de qualquer gênero e ou produção jornalística, uma vez que violam os direitos humanos das mulheres, entre eles, o de viver sem violência.
Os conteúdos de comunicação devem primar pela informação e não pela banalização da situação dramática em que vivem milhares de mulheres brasileiras, vítimas de violências no ambiente de trabalho, nos espaços públicos e dentro de seus lares.
As instituições que assinam, solidariza-se com todas as mulheres que tenham vivido ou ainda sejam alvo de práticas machistas, reiterando o seu posicionamento contrário ao machismo, ao racismo, à lesbofobia e a outras formas de discriminação das mulheres. Ressalta o compromisso com a equidade de gênero, raça e etnia e o empoderamento das mulheres, compromisso que é resguardado nos congressos de jornalistas e documentos normativos, para assegurar os direitos humanos das mulheres.

Teresina – Pi, 07 de maio de 2020.

Maria Dalva Fernandes
Presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB - PI

Darnan Michele Silva Amorim
Instituto Nacional de Combate à Violência Familiar (INCVF) - Presidente do Nordeste

Joselda Nery Cavalcante
Tamo Juntas - Coordenação Regional Piauí

Solange Márcia S. da Silva
Coordenadora Grupo Delas

Próxima notícia

Dê sua opinião: