Política

Wellington reage à operação: é abuso de autoridade

WDias vai propor à Assembleia a aprovação de uma lei coibindo o abuso de autoridade
Fonte: Paulo Pincel | Editor: Alinny Maria 12/09/2018 14:54
Governador do Piauí, Wellington Dias Governador do Piauí, Wellington DiasFoto: Jorge Bastos/PK

O governador do Piauí, Wellington Dias, reagiu indignado à operação policial desencadeada pelo Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado em órgãos públicos - Semar, SDR, Idepi e Coordenadorias - para cumprimento de mandados de busca a apreensão determinado pela Justiça. "Quero um Ministério Público, um TCE, um Judiciário forte, agora, sem abuso [...] Estou vendo muita coisa estranha", disparou o governador, em conversa com os jornalistas no começo da tarde desta quarta-feira (12). Wellington Dias vai propor à Assembleia Legislativa uma lei para coibir o abuso de autoridade.

Lamento o espetáculo. Vivemos o momento em que lamentavelmente é um espetáculo, véspera de eleição, para que? Para interferir na eleição? Em razão disso pedi hoje uma agenda com os líderes para tratar sobre isso. Tem algo estranho. Defendo a transparência, o combate à corrupção, quero que alguém diga que houve algum pedido de documento de algum promotor, de qualquer juiz, do Tribunal de Contas, que não oferecemos prontamente as informações. É uma operação para pegar informação que poderíamos entregar. Não tem sentido. Vejo interferência no período eleitoral. Com qual objetivo? É isso que pergunto."

Wellington Dias condenou as "manobras" para prejudicar o governo, como as operações ocorridas em agosto, em órgãos como a Secretaria de Estado da Educação e do Meio Ambiente.

"Já tivemos no período eleitoral uma operação que vem de 2012 e 2013 e deixam para realizar operações agora. Foi assim nos transportes com as empresas (Seduc), foi assim com a Semar (Meio Ambiente), que o investigado também é uma empresa e agora em várias áreas. Estamos falando de obras que não receberam nenhum centavo. São obras de R$ 400 mil, obras que cumpriram a lei, com licitação legal, contrato legal, licenciamento, tudo dentro da legalidade", garantiu o governador.

Abuso de autoridade

Wellington Dias vai propor à Assembleia Legislativa a aprovação de uma lei coibindo o abuso de autoridade com objetivos diversos que não o interesse público. "Queremos o apoio da bancada para aprovar lei que regulamenta abuso de autoridade. Não estou falando de retirar direito de ninguém. Mas estou falando de quem avisa que vai prender alguém para pedir um contrato que ele poderia entregar se fosse pedido. Isso é um abuso... A pessoa é presa, faz o depoimento e vai embora. Era só para requerer um contrato. Isso afeta a economia, a política e eu lamento. Sou defensor da democracia, sou defensor dessa democracia", defendeu Wellington, demonstrando aborecimento.

Nota do Governo sobre a Operação Itaorna:

"Operação Itaorna

O Governo do Estado do Piauí informa que a operação Itaorna, deflagrada nesta quarta-feira (12), tem por objeto constatar se a empresa investigada teria capacidade operacional ou não de realizar as obras e de se habilitar nos processos licitatórios, o que levaria à conclusão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e do Ministério Público Estadual (MPE) que poderia haver indícios de fraude nos processos licitatórios.

O Governo do Piauí sempre cumpriu com todas as diligências requisitadas, sempre entregou os documentos requeridos pelos órgãos de controle e colaborou com todas as investigações.

Nenhum agente público é investigado neste caso. É importante frisar, também, que o governo sempre prezou pela transparência de todos os seus atos e assegura que todos os processos licitatórios obedecem aos trâmites legais e obrigações jurídicas, tendo tramitado pela Controladoria e Procuradoria Geral do Estado.

Por fim, asseguramos que documentos e contratos são públicos e disponibilizados de forma permanente e rotineira para o TCE, não necessitando de ações judiciais para se ter acesso a eles.

Governo do Estado do Piauí"

Comentários