Brasil

Quem eram as vítimas do massacre na escola em Suzano

Foram mortos cinco estudantes, entre 15 e 17 anos, e duas funcionárias
Fonte: Jornal O Globo | Editor: Redação 14/03/2019 08:39
Alunos e funcionários mortos em escola em Suzano Alunos e funcionários mortos em escola em SuzanoFoto: Montagem/Piauí Hoje

Dois ex-alunos da escola estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), retornaram à escola nessa quarta-feira (13) com um único objetivo: assassinar cruelmente alunos e funcionários. A chacina na escola deixou 10 pessoas mortas, sendo que oito foram assassinadas por Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos.

Entre os mortos, estão cinco estudantes que tinham entre 15 e 17 anos de idade e duas funcionárias da escola, além do proprietário de uma loja próxima ao local. Após o massacre, os assassinos se mataram no local.

Alunos da escola

  • Caio Oliveira - Tinha 15 anos e era fã de basquete e de rap. Segundo os amigos, Caio jogava basquete muito bem e suas fotos nas redes sociais retratam a paixão do jovem pelo esporte.
Caio Oliveira, um dos mortos no massacre em Suzano Caio Oliveira, um dos mortos no massacre em Suzano

  • Cleiton Antônio Ribeiro - aluno do 3º ano do Ensino Médio, Cleiton tinha 17 anos, foi descrito por amigos como um rapaz "muito tímido, quieto, simples e gentil". Seu foco era estudar e não tinha hábito de usar redes sociais. Cleiton foi baleado e morreu ainda na escola..
  • Douglas Murilo Celestino - Douglas Murilo tinha 16 anos e seu corpo foi o último a ter o corpo identificado pela Secretaria de Segurança pública. Ele tinha no bolso o documento de identidade de João Victor Ramos Lemos, que chegou a ser incluído na lista de mortos, mas que está entre os feridos.
  • Douglas tinha pedido à mãe para mudá-lo de escola porque aquela era “muito bagunçada”, segundo disse um amigo da família. —Ele queria mudar, mas estava no último ano, então acabou ficando.
  • Douglas Murilo foi uma das vítimas do ataque na Escola Raul Brasil em Suzano Douglas Murilo

  • Kaio Lucas da Costa Limeira – Kaio Limeira tinha 15 anos e era muito estudioso e ligado à igreja — frequentava com a Família a Igreja Cristã Mundial. Envolvido na música de sua congregação, era um jovem que tinha muitos planos.
  • Desaparecido desde o tiroteio na escola Raul Brasil, ele foi reconhecido por familiares no início da noite desta quarta-feira no Instituto Médico Legal (IML) de Suzano. Kaio Limeira levou um tiro na nuca e morreu ao dar entrada no hospital.

Kaio Lucas da Costa Limeira Kaio Lucas da Costa Limeira

  • Samuel Melquíades Silva de Oliveira – Samuel tinha 16 anos, frequentava a igreja com o pai. Segundo o tio, José Silva, o garoto ajudava o pai nas pregações da igreja Adventista do Sétimo dia. “Era um menino dinâmico e especial”, disse o tio. Samuel era muito próximo da família. Seu grande talento era hereditário: desenhar e pintar. O sonho do garoto era seguir a profissão do pai, artista.
  • Samuel Melquíades Samuel Melquíades

Funcionários

Marilena Umezu

  • A coordenadora pedagógica, de 59 anos, era engajada nas redes sociais. A última postagem no Facebook foi feita na noite de segunda-feira, quando replicou mensagens sobre a reforma da Previdência e a Lava-Jato. Recentemente, falou sobre a tragédia de Brumadinho (MG), em que cobrou Justiça e sobre as denúncias envolvendo o senador Flávio Bolsonaro.
  • Marilena Ferreira Vieira Umezo, coordenadora pedagógica

Eliana Regina de Oliveira Xavier , 38 anos: Era inspetora na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano

Eliana Regina de Oliveira Xavier era inspetora na Escola

Dono da loja de carros:

Jorge Antônio Moraes , 51 anos: comerciante, morto antes da entrada dos assassinos na escola; ele é tio de Guilherme, um dos assassinos.

Comentários

Apoio: