Saúde

Sesapi oferece acompanhamento psiquiátrico e psicológico para crianças

O atendimento é feito no CAPSi, em Teresina
Fonte: CCOM | Editor: Redação 26/10/2017 13:05
Psicologo PsicologoFoto: Marcela Assef

Cerca de 1.300 crianças e adolescentes piauienses são atendidos pelos Centro de Atenção Psicossocial Infanto-juvenil do Estado (CAPSi), local onde recebem cuidados de diferentes profissionais para tratar e controlar diversos distúrbios e transtornos mentais. São psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais, educadores físicos e terapeutas ocupacionais formando uma equipe que propicia aos pacientes e familiares não somente tratamentos medicamentosos e terapêuticos, como também a possibilidade de uma convivência mais harmoniosa e uma esperança de dias melhores.

Estudante de 17 anos, Felipe Barbosa é um dos jovens atendidos pelo CAPSi. Após frequentar o centro de apoio público e trabalhar suas relações sociais, Felipe diz que passou a ter um maior autoconhecimento. “Aqui eu aprendo a me conhecer mais, conhecer outras pessoas e por meio dos outros vou poder reconhecer também minhas dificuldades e os erros que eu cometo”, declarou.

Cada vez mais cedo as pessoas são confrontadas com situações de estresse e expostas ao uso de drogas, diz o coordenador do Centro, Wilderson Teixeira. “O tratamento psicossocial não tem fim, tem que controlar sempre para ter uma vida social equilibrada, porque se param de tomar remédio, volta tudo de novo”, conta.

“Na saúde mental, a maioria das doenças são crônicas e como todas precisa de manutenção, então as crianças e adolescentes precisam manter esse vínculo com algum tipo de atendimento da Rede de Atendimento Psicossocial (RAPS). Por mais que eles estejam bem, na família, no colégio, na sociedade, precisam continuar com o tratamento pela dificuldade que apresentam em se inserir no meio social”, reafirma o coordenador.

Dona Evanilde Barbosa, mãe do Elias, conta como é o atendimento e diz que seu filho evoluiu muito. "Se eu não tivesse vindo atrás a situação teria piorado porque eu não sabia lidar e depois que eu vim para cá, a situação melhorou porque a gente é acompanhado e aprende a lidar. Várias sequências de acontecimentos geraram uma confusão na cabeça dele, até mesmo a adolescência, porque tem coisas que ele não sabe se expressar e, às vezes, a gente não sabe lidar com a situação e acaba errando”, relatou a mãe.

A melhora dos pacientes é notável, conta Antônia Araújo, assistente social do Centro de Apoio Psicossocial Infantil, sobre a recompensa da ajuda oferecida pela equipe. “São vários os casos em que os adolescentes chegam aqui contidos e hoje estão fazendo faculdade. Para a gente é muito gratificante saber que nosso trabalho tem resultado”, comemora.

Diariamente, 40 pessoas são ouvidas e orientadas nos turnos manhã e tarde, de segunda a sexta-feira. Nos atendimentos são realizadas consultas individuais e em grupo, atividades físicas, práticas ocupacionais e oficinas de produção de material de higiene e de culinária.

Para ter acesso aos serviços, o usuário do SUS deve ir ao CAPSi, que fica localizado na Rua Crisipo de Aguiar, nº 3869, bairro Buenos Aires, no prédio do antigo CSU (Centro Social Urbano), em Teresina.

Comentários

Matérias Relacionadas