Economia

Preço da passagem sobe para R$ 3,71 em janeiro

Setut reclama que a meia passagem está congelada há cinco anos em Teresina
Fonte: Strans/PMT | Editor: Paulo Pincel/Alliny Maria 28/12/2017 11:34
Ônibus em Teresina Ônibus em TeresinaFoto: Alinny Maria

O preço da passagem de ônibus vai aumentar a partir de janeiro de 2018, segundo decisão do Conselho de Transporte Coletivo de Teresina, reunido na manhã desta quinta-feira (27). O novo valor da tarifa, já anunciado pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), será de R$ 3,71 inteira e de R$1,18 para meia passagem para estudantes - valor que estava congelado há cinco anos. A data da entrada em vigor da nova tarifa ainda depende de decisão do prefeito Firmino Filho.

O superintendente da Strans, Carlos Augusto Daniel Júnior, argumenta que não há como a Prefeitura de Teresina como manter o valor da meia passagem em R$1,05. “É impossível a Prefeitura arcar com esses custos. O prefeito que tinha optado por manter a passagem em R$1,05, mas hoje não tem mais condições porque quando o sistema não arrecada, a Prefeitura é quem paga. Se fosse possível com certeza o prefeito arcaria. Por isso, devemos dar uma planilha justa ao sistema. Nós temos que dar uma tarifa técnica ao prefeito porque ele quem vai decidir qual o valor que será. Quem decide a tarifa é o prefeito municipal, nós apenas apresentamos o custo técnico”.

O reajuste, segundo o superintendente, será de pouco mais de 12% e é consequência do custo da operação do sistema. “Para você operar o sistema, a Prefeitura tem que pagar aos operadores um valor ‘x’. Se esse valor vai ser pago com mais ou menos passageiros, não interessa. O custo sistema é fixo”, argumentou Carlos Daniel, listando os vários aumentos que incidiram sobre a planilha de custos de manutenção da frota, como o reajuste dos preços do óleo diesel (27%), pneus (13%) e ar-condicionado (18%).

Já o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Teresina (Setut), Marcelino Lopes, afirmou que o valor de R$3,71 não cobre sequer os custos de operação do sistema. "Eu estou reclamando que o valor 3,71 não cobre os custos do Setut. Para cobrir o custo o valor teria que ser de R$4,10. A prefeitura vai ter que arcar com a outra parte e ela não vem fazendo isso”, reclamou.

A estudante Maria de Sousa diz que a população paga caro por um sistema precário. "É muito injusto pagarmos um preço tão alto por um serviço de péssima qualidade. Existem só promessas de melhoria no transporte coletivo de Teresina e eles não cumprem com o mínimo. Estão mais preocupados em aumentar o valor da passagem que melhorar o sistema. Quem mais sofre é o trabalhador.", relata a estudante, que cursa Enfermagem.

Comentários