Polícia

Policiais suspeitos de fraude sofrem processo administrativo na corporação

Para o corregedor da Polícia Civil no Piauí, as provas são contundentes e os policiais podem vir a serem expulsos
Fonte: Da Redação | Editor: Piauihoje 10/05/2017 09:12
Os policiais civis reunidos para a Operação Os policiais civis reunidos para a OperaçãoFoto: Polícia Civil do Piauí

Policiais suspeitos de fraude em concurso público da Polícia Civil estão sendo investigados por processo administrativo disciplinar dentro da corporação. De acordo com o corregedor da Polícia Civil no Piauí, Adolpho Henrique Soares Cardoso, 13 policiais estão sendo investigados. Ainda de acordo com o corregedor, os policiais já foram afastados e entregaram, arma, distintivo, insígnias, carteira funcional e munições. Os processos administrativos disciplinares podem resultar até na expulsão dos policiais. Alguns policiais já eram investigaddo por má conduta na profissão. Para o corregedor, não há condições de os acusados permanecerem na Polícia.

"O inquérito policial já tem muita coisa, então posso abrir processo administrativo disciplinar e afastá-los do cargo e assim iniciar o processo de demissão. Eles não conseguem mais se manter no cargo...ou serão demitidos na esfera criminal ou na esfera administrativa", disse o corregedor. Os investigados serão ouvidos pela Corregedoria. "Se a gente não tomar uma atitude dessa natureza, acabamos incentivando", afirma Adolpho Henrique.

De acordo com o delegado geral da Polícia Civil, Riedel Batista, as provas são contundentes para o encaminhamento à justiça. Ele diz que espera que o caso finalize ainda fortalecendo e preservando a instituição. "Cada um dos investigados teve a conduta individualizada, com provas específicas para aquela conduta. Esperamos que com a retirada dessas pessoas da instituição, possamos crescer, se fortalecer e preservar o nosso maior patrimônio que é o nosso efetivo", afirmou o delegado.

Para o delegado Willame Moraes, coordenador da Greco, mesmo que os investigados estivessem 'do lado' na coorporação, utilizaram de forma fraudulenta para entrar na instituição, algo inadmissível. "Os principais alvos dessa operação foram policiais civis, são da nossa insituição, estavam trabalhando do nosso lado...todavia, utilizaram de forma ilegal e fraudulenta para adentrar na nossa instituição. Desde o início temos indícios da participação desse pessoal, mas tivemos calma para apurar tudo e só deflagrar a operação com provas robustas para prendê-las e assim concluir com êxito o nosso trabalho", concluiu.

Comentários

Matérias Relacionadas