Política

Piauí avança apesar da torcida contra, comemora Limma

Piauí assumiu a condição de 21º estado mais competitivo no Brasil
Fonte: Paulo Pincel | Editor: Alinny Maria 19/09/2018 11:06
Deputado Francisco Limma (PT), líder do Governo na Assembleia Legislativa Deputado Francisco Limma (PT), líder do Governo na Assembleia LegislativaFoto: Paulo Pincel

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Francisco Limma (PT), comemorou o crescimento do Piauí no Ranking de Competitividade dos Estados de 2018, divulgado no final de semana Consultoria Tendências em parceria com o Centro de Liderança Pública (CLP). "O Piauí avança, apesar da torcida contra", afirmou o deputado.

O Piauí já havia subido um ponto percentual em 2017 e agora cresceu mais dois, assumindo a condição de 21º estado mais competitivo no Brasil, ultrapassando a Acre, Amapá, Bahia, Maranhão, Pará e Sergipe.

O ranking avaliou dez setores (pilares) estratégicos, como infraestrutura, solidez fiscal, educação e potencial de mercado e outros.

Em custo de combustível, o Piauí subiu sua nota, entre 2017 e 2018, e passou de 61 para 81,5 pontos (numa escala de zero a 100), alcançando a 7ª posição no ranking. Entre as 27 unidades da Federação, o Piauí possui o sétimo melhor cenário na competição em custo do combustível.

O mesmo aconteceu com o segmento “custo da energia elétrica” (41,2 para 43,1), “telecomunicações” (28,2 para 28,3), “saneamento básico” (63,8 para 66,9), “qualidade da energia elétrica” (72,7 para 79,4).

No indicador “População Economicamente Ativa com curso superior”, o Piauí disparou de 8,9 pontos para 24,6, passando da 22ª posição para a 18ª no ranking entre os 27 estados do Brasil.

A educação também tem apresentado melhorias, como os itens avaliação da educação, sendo o Piauí o primeiro lugar no Brasil; a melhoria no Ideb (passou do 19º para 18º no ranking) e oportunidade da educação (de 20º para 19º).

Em segurança pública, o índice do Piauí é melhor que a média nacional, com 59,8 contra 50,3 alcançado no país, ou seja, o Piauí alcança a 12ª posição entre as 27 unidades federativas. Um dos setores que mais contribuíram para o Piauí ficar entre os primeiros foi o combate ao déficit carcerário, indicador que o Piauí subiu de 10º para 7º no ranking nacional.

Por fim, mesmo com as dificuldades financeiras que atingem o Brasil desde 2015, o Piauí tem conseguido manter um bom equilíbrio na administração pública. No subitem solvência fiscal (capacidade do Estado honrar seus compromissos), o Piauí cresceu quatro posições, passando de 14º para 10º lugar.

Em “Transparência”, o Piauí subiu da 21ª para a 15ª posição. “Ou seja, o governo consegue administrar de forma austera e transparente, bem diferente do que tentam mostrar os adversários, que vivem denunciando, pregando o caos, torcendo pelo quanto pior melhor”, avaliou Limma, ao expor os números na sessão de terça-feira (18).

Comentários