Política

Passagem molhada de Boqueirão não durou três meses

Deputado e prefeito exigem reparo na obra que foi levada pela correnteza
Fonte: Paulo Pincel | Editor: Alinny Maria 22/02/2018 16:05
O que sobrou da passagem molhada em Boqueirão do Piauí O que sobrou da passagem molhada em Boqueirão do PiauíFoto: Reprodução

O Ministério Público do Estado vai investigar a denúncia de desvio de recursos e péssima qualidade do material e dos serviços da passagem molhada construída há menos de três meses. A obra não suportou a primeira chuva que caiu no município de Boqueirão do Piauí e foi levada pela correnteza.

A passagem molhada foi inaugurada em dezembro do ano passado e custou R$ 133 mil, com recursos da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf). A passagem feita em concreto foi levada pelas águas, deixando isolados os moradores do assentamento Monte Belo.

O prefeito Valdemir Alves da Silva, o “Solteiro”, e o deputado estadual Aluísio Martins, ambos do PT, cobraram providências da Codevasf, para que a empresa seja responsabilizada pelo serviço mal feito e faça os reparos previsto no contrato da obras, que tem garantia de cinco anos.

Inauguração da passagem molhada em dezembro do ano passado
Inauguração da passagem molhada em dezembro do ano passado: pompa

Comentários