Educação

Ministro visita escola capixaba e reforça compromisso com o ensino em tempo integral

O ministro destacou, ainda, a ampliação das vagas em escolas de tempo integral como uma das prioridades do MEC
Fonte: MEC | Editor: Redação 30/06/2017 10:39
Ministro da Educação Ministro da EducaçãoFoto: Mec

Na tarde de ontem, 29, o ministro da Educação, Mendonça Filho, visitou o projeto Escola Viva São Pedro, em Vitória (ES), para conhecer o modelo de ensino em tempo integral, com propostas pedagógicas inovadoras, que oferecem ao estudante um aprendizado voltado para o mercado de trabalho. "A Escola Viva é um exemplo na nova concepção do ensino médio”, elogiou o ministro, destacando a valorização da independência dos estados, das redes estaduais e do protagonismo dos jovens que poderão definir seus projetos com flexibilidade e oportunidade para escolher seu futuro.

Além da estrutura diferenciada e do currículo inovador, na Escola Viva os profissionais possuem dedicação integral e os alunos permanecem na escola por nove horas e 30 minutos diários. A carga horária é das 7h30 às 17h, sendo 1h20 para o almoço e dois intervalos de 20 minutos para o lanche, ofertados dentro da escola. Recebido pelo secretário de Educação do estado, Haroldo Rocha, e por estudantes, Mendonça enalteceu o trabalho da Escola e falou do compromisso do Ministério da Educação com um ensino médio plural e que contemple todas as vocações, bem como da ampliação das instituições de tempo integral a partir desta visão.

O ministro destacou, ainda, a ampliação das vagas em escolas de tempo integral como uma das prioridades do MEC. Para isso, a gestão atual lançou a política de indução das escolas em tempo integral com investimento de R$ 1,5 bilhão em todo o Brasil. Lançado com a reforma do ensino médio, o Programa de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral tem por objetivo garantir apoio financeiro às redes estaduais. O programa foi inspirado na experiência exitosa de Pernambuco, onde o modelo de escolas integrais começou a ser implantado em 2004/2005.

“A educação de tempo integral é um dos pontos principais do Plano Nacional de Educação (PNE) e é compromisso nosso perseguir as metas do PNE", observou, lembrando que até 2016 eram cerca de 300 mil matrículas em educação integral em toda a rede pública. "Apenas no primeiro movimento já quase dobramos este número, e em três anos vamos assegurar quase 900 mil matrículas em educação de tempo integral”, acrescentou.

O secretário de Educação do Espírito Santo, Haroldo Rocha, agradeceu a presença do ministro e lembrou do passado, quando ainda governador de Pernambuco, Mendonça Filho participou da implementação do programa de escolas em tempo integral naquele estado. “A presença do ministro tem um duplo significado”, disse Rocha. “Além de vir conhecer a experiência da Escola Viva, ele tem uma ligação histórica com a metodologia desenvolvida aqui. Começamos em 2015, em 2016 o MEC decidiu nos apoiar. Nós temos 17 escolas este ano, vamos ampliar para 30 no ano que vem e fizemos um plano para chegar a 300 em 2030. Então é uma alegria muito grande”.

A instituição foi a primeira unidade do Programa Estadual Escola Viva, que trabalha com modelo pedagógico desenvolvido pelo Instituto de Corresponsabilidade pelo Educação (ICE), foi criado em 2015. Entre os apoiadores do Escola Viva está a Organização Não-Governamental (ONG) Espírito Santo em Ação, que congrega empresários capixabas de diversos setores para trabalhar em prol da educação e formação profissional no estado.

Estudantes – Ao longo do evento, Mendonça Filho conversou com alguns estudantes da Viva São Pedro sobre o projeto de vida deles. Um desses jovens foi Rodrigo Mutz, 17 anos. Ele comentou que chegou ao projeto sem “gostar muito”. “Estou na escola desde 2015. Logo quando começou a divulgação eu não queria, mas por influência de professores e amigos ingressei na escola e a partir daí foram várias vivências. Dois anos depois eu continuo com o mesmo projeto de vida que é ser médico geneticista, é uma das minhas paixões e o que eu quero trilhar.”

Também concluinte da Escola Viva São João, Eduarda Soares, 18 anos, diz que os momentos vivos dentro da escola e do programa foram essenciais para as conquistas que tem vivenciado. “Sempre que me fazem uma pergunta sobre minhas conquistas, se tenho tudo isso pela escola de tempo integral, eu digo que talvez não seja por conta da escola em si, mas pelo que ela me proporcionou e fez com que eu me transformasse. A nova Eduarda é fruto desses momentos e das oportunidades que eu tive e agarrei com força”.

Escola – Inaugurada em 2015, a instituição foi batizada de Centro Estadual de Ensino Médio em Tempo Integral São Pedro. Atualmente, oferta 800 vagas para estudantes do ensino médio e conta com 466 alunos efetivamente matriculados. Construída em uma área de aproximadamente 22,4 mil m², a unidade é um complexo composto por várias edificações interligadas. Sua estrutura é constituída por dois edifícios pedagógicos, sendo um com quatro pavimentos, composto por salas, laboratórios e administrativo, e outro com três pavimentos, composto por salas de aulas. Há, também, edifícios de apoio, com auditório, restaurante, quadra e ginásio esportivo.

No primeiro ano de execução do Programa de Fomento à Implementação de Escolas em Tempo Integral, adesão 2016, cerca de 7 mil matrículas foram ofertadas em 15 escolas, distribuídas em 13 municípios: Vila Velha, Ecoporanga, Vitória, Iúna, São Mateus, Baixo Guandu, Pedro Canário, Guaçuí, Muniz Freire, Colatina, Montanha, Afonso Cláudio, Linhares. Cerca de R$ 12 milhões de recursos foram transferidos para o estado em custeio para a adesão de 2016.

Agenda – Ainda em Vitória e acompanhado do secretário de Educação Básica do MEC, Rossieli Soares, o ministro Mendonça Filho visitará a Escola Municipal de Ensino Fundamental Anacleta Schneider Lucas. A instituição também aplica o modelo de escola de tempo integral.

Comentários

Matérias Relacionadas