Cidade

Mais de 21 mil toneladas de lixo foram recolhidas ano passado na zona Leste

Comunidade pode ajudar com informações ou denúncias sobre descarte incorreto do lixo
Fonte: PMT | Editor: Redação 07/02/2018 09:42
Foto FotoFoto: Ascom

Ter consciência e cuidado com a limpeza da cidade são atitudes que somam melhorias para a comunidade de um modo geral. Por isso, em 2017 a equipe de limpeza da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Leste recolheu 21.398,45 toneladas de lixo em terrenos baldios e realizou a remoção de 20.616,72 toneladas oriundos de capina. Na tarefa de preservar o meio público para as presentes e futuras gerações, o Poder Público e a comunidade devem trabalhar em conjunto.

Segundo Renato Lopes, gerente de limpeza da SDU Leste, os serviços urbanos são considerados uma das atividades essenciais no dia-a-dia da comunidade, tais como limpeza de logradouros e passeios públicos, limpeza de galerias e fossas, administração dos cemitérios públicos, de mercados e feiras, e a melhoria de vias não pavimentadas. “Para manter nossa cidade limpa, cerca de 90 homens realizam serviços de limpeza em ruas e avenidas durante toda a semana. A limpeza dos bairros é feita através de capina, varrição e transbordo, além da parceria com carroceiros, que também ajudam no trabalho da retirada do lixo”, detalhou o gerente.

Conforme Renato Lopes há também outros serviços que fazem da tarefa peça importante para a conservação da cidade. “Realizamos, de um modo geral, a manutenção, proteção e conservação das praças, parques e demais logradouros públicos, limpeza de galerias pluviais, fossas e lagoas e a conservação e preservação das margens dos rios que são executadas periodicamente”, enfatizou o gerente.

Por outro lado, a colaboração da população é fator importante para evitar o acúmulo ou descarte irregular. De acordo com Márcio Sampaio, superintendente executivo da região, os serviços de limpeza têm sido um ponto importante da gestão municipal. “Temos nossa programação e seguimos. Mas solicitamos que a população não deixe de fazer o correto acondicionamento do lixo, pois precisamos da colaboração do munícipe para evitarmos maiores transtornos”, disse o executivo.

Iniciativa e compromisso com a limpeza da cidade

Muitas pessoas fazem o que estão ao seu alcance para cuidar do meio ambiente e manter a própria rua e o bairro onde vive limpo e longe da sujeira e de mosquitos transmissores de doenças como dengue, zika e chikungunya. É o caso da moradora do Residencial Árvores Verdes, Francislene Oliveira, que escreveu frases de cunho educativo em área utilizada de forma irregular pela própria comunidade para despejo de lixo doméstico e até resíduos sólidos.

Segundo ela, falta educação por parte da comunidade e mais respeito. “O pessoal não tem educação. O carro de lixo passa aqui toda semana, religiosamente terça, quinta e sábado pela manhã. Eu já cheguei a testemunhar gente jogando depois que o carro passou em menos de minutos. Acho isso inadmissível, fico revoltada. Vou continuar escrevendo mais frases e quero no futuro plantar rosas e outras flores para inibir isso, talvez com a beleza das flores os moradores fiquem com pena e parem de jogar lixo”, relatou Oliveira.

Programação de limpeza contempla todos os bairros

De acordo com a gerência de serviços urbanos, a programação é regular e a limpeza é feita em todos os bairros. Posteriormente, retorna-se aos pontos com prazo de três meses para executar novamente a limpeza. “Solicitamos também o apoio da população no sentindo de fazer o acondicionamento do lixo da maneira correta e também em evitar despejar materiais em praças, no meio de ruas e avenidas. A comunidade pode nos ajudar com informações ou denúncias sobre descarte incorreto de lixo domiciliar pelo número (086) 3215- 7875”, explicou o gerente.


Comentários