Saúde

HGV realiza tratamento especial em paciente com complicações graves

O atendimento multidisciplinar que recebeu no HGV foi fundamental para sua reabilitação.
Fonte: CCOM | Editor: Redação 24/10/2017 12:56
Hospital Getúlio Vargas Hospital Getúlio VargasFoto: Ascom/HGV

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) tem avançado no cuidado multidisciplinar com pacientes graves que necessitam de cuidados complexos. Devido a um acidente de moto, o motorista Tiago Alves de Oliveira, 31 anos, permaneceu internado no HGV por seis meses em tratamento. No longo processo para voltar ao prumo, o atendimento multidisciplinar que recebeu no HGV foi fundamental para sua reabilitação.

A esposa de Tiago, Caroline Oliveira, conta que a moto que o marido conduzia deslizou na pista, o que resultou no acidente. Apesar de ter tido apenas ferimentos leves, a diabetes de Tiago complicou a recuperação. Após ter tido o primeiro atendimento no Hospital municipal de José de Freitas, município onde residem, Tiago foi transferido para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT), local onde, por conta de uma infecção, ficou 40 dias internado. Com a complicação do seu estado de saúde, Tiago foi transferido para o HGV, referência em média e alta complexidade para todo o estado do Piauí.

“No HGV, ele recebeu cuidados especiais que foram importantes para a recuperaração, inclusive com o auxílio do médico que ajudou Tiago a ganhar peso para poder fazer a cirurgia para colocar um enxerto na perna”, explica a esposa de Tiago.

O médico intensivista e coordenador da UTI do HGV, Bruno Ribeiro, explica a ação da equipe médica para o atendimento a Tiago. “Quando cheguei à enfermaria, identifiquei que o Tiago tinha desnutrição grave e precisava passar por uma cirurgia plástica, que não teria sucesso naquelas condições, porque a cicatrização depende de um bom estado nutricional. E foi instalado um equipamento para nutrição enteral que é utilizado apenas na UTI, mas abrimos uma exceção e levamos esse aparelho para a enfermaria. Com os dois tipos de dieta, mais a alimentação via oral e a assistência da equipe de nutrição e enfermagem, ele conseguiu sair da desnutrição e pôde fazer a cirurgia”, relembrou o médico.

Para a diretora-geral do HGV, Clara leal, os traumas retiram homens e mulheres do mercado de trabalho e oneram o serviço público de saúde. "Esses pacientes necessitam de cuidados complexos e multidisciplinares, como foi o caso de Tiago, que envolveu várias clínicas e inúmeros profissionais na sua recuperação”, explica Clara Leal.

No caso de Tiago, foram necessários, também, o envolvimento da equipe da Clínica Nefrológica. Por conta de uma infecção, os rins de Tiago pararam e foram necessárias oito seções de hemodiálise para que os órgaos voltassem a funcionar. O paciente também foi submetido a cirurgia plástica e a longos processos de cuidados especiais com a equipe de enfermagem. “Foi necessário utilizar curativos especiais para que suas feridas cicatrizassem porque devido à diabetes, possuia dificuldade na cicatrização”, conta a enfermeira responsável pelo cuidado com Tiago, Isabel Miranda.

A diretora-geral do hospital considera que os danos sociais são maiores que o custo do tratamento. “Algumas reabilitações são mais rápidas, mas muitos pacientes terão que ter um vínculo eterno conosco”, afirma Clara Leal.

Comentários

Matérias Relacionadas