Política

Henrique Meirelles prega a união e critica Dilma

Braço direito de Temer veio buscar apoio do MDB e dá palestra em Teresina
Fonte: Paulo Pincel | Editor: Alliny Maria 28/06/2018 14:03
Ex-ministro Henrique Meirelles, pré-candidato a Presidência pelo MDB Ex-ministro Henrique Meirelles, pré-candidato a Presidência pelo MDBFoto: Teresina Diário

Candidato do presidente Michel Temer a Presidência da República, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles, concedeu entrevista coletiva nesta quinta-feira (28), em Teresina. Meirelles veio buscar o apoio do MDB piauiense para a convenção de julho e para uma palestras para 150 empresários.

"O MDB está cada vez mais engajado. A campanha é uma oportunidade histórica para o partido conquistar. O MDB tem história para contar. O governo anterior jogou o Brasil na maior recessão da história. O governo do MDB recolocou o país nos trilhos do crescimento. Esse governo conseguiu reverter isso. O MDB conseguiu reverter essa trajetória e colocar o pais no crescimento. Temos resultados para mostrar ao Piauí. É um projeto vencedor", avalia Meireles

O ex-ministro lembrou que trabalhou durante oito anos no governo do presidente Temer, quando foi presidente do Banco Central. “Construímos uma trajetória de crescimento, aumento da renda e de controle da inflação. Agora estamos com um espaço de tempo curto. Ainda não houve tempo para o Brasil sentir os efeitos da criação de emprego. Ainda não houve tempo para compensar todo o desemprego criado na administração anterior", argumentou o ex-ministro.

"Trazemos uma mensagem de compromisso com o Piauí. Temos alguns projetos que serão prioridades no nosso governo. Se eleitos, faremos o prosseguimento da Transnordestina, que é importante para o desenvolvimento. Precisamos aproveitar as vocações do Piauí", defendeu.

Homem da confiança de Temer, Henrique Meirelles foi questionado sobre o governo Dilma Rousseff. "Ela não queria ser ajudada. Ela possuía ideias erradas. Trabalhamos juntos durante vários anos do Governo Lula e já dizia que se fosse aplicado o tipo de política que ela defendia, o Brasil entraria em crise. E foi o que aconteceu. Ela teve decisões equivocadas. Importante é que o país foi para frente”.

Sobre os adversários, Meirelles afirmou que os principais concorrentes representam dois extremos. "Meus principais adversários estão nos extremos. De um lado à esquerda propondo voltar atrás, com todas as políticas que já deram errado, que levaram o país à crise e recessão. Do outro lado à extrema direita propondo o conflito. Temos que unir o Brasil e não dividir. Precisamos colocar todo o Brasil para crescer", discursou.

Comentários