Política

Governo prevê economia de R$ 256 milhões com reformas

Medidas de austeridade vão gerar R$ 400 milhões de economia
Fonte: TV Cidade Verde | Editor: Paulo Pincel 11/04/2019 09:46
Secretário de Estado da Fazenda, Rafael Fonteles Secretário de Estado da Fazenda, Rafael FontelesFoto: AsCom/Sefaz

O Governo do Piauí estima em mais de R$ 256 milhões a redução das despesas com a manutenção da máquina administrativa do Estado neste primeiro ano. A meta, segundo o secretário de Estado da Fazenda, Rafael Fonteles, é alcançar R$ 400 milhões/ano, sendo R$ 100 milhões só de gastos com a folha de pagamento de pessoal – efetivos, comissionados e terceirizados.

"Essa é a projeção anual das medidas já tomadas. Nós queremos chegar nos R$ 400 milhões. Esse trabalho vai continuar em todo o primeiro semestre, durante todo o ano e a partir do ano seguinte, o trabalho vai ser manter os patamares, esse nível de custeio da máquina. A ideia é chegar no mínimo possível, sem comprometer os serviços essenciais à população, notadamente Saúde, Segurança e Educação", adiantou Rafael Fonteles, em entrevista na TV Cidade Verde, na manhã desta quinta-feira (12).

O corte de terceirizados e comissionados, a auditoria na folha de pagamento, a revisão de todos os contratos com fornecedores de materiais e serviços, bem como o contingenciamento das despesas consideradas “não essenciais”, revisão de encargos geraram uma economia que passa dos R$ 256 milhões. A reforma administrativa, previu o secretário, deve resultar em mais R$ 20 a 30 milhões de economia nas contas públicas.

"A economia com a reforma administrativa será em torno de R$ 20 a 30 milhões, muito pouco comparado com a meta mais ousada que é oriunda de todo esse trabalho. A reforma administrativa é mais do ponto de vista de dar eficiência à gestão", acrescentou Fonteles.

Comentários