Política

Governo e oposição divergem sobre a reforma administrativa

Wellington Dias previu uma economia anual de R$ 400 milhões com as mudanças
Fonte: Alepi | Editor: Paulo Pincel 18/02/2019 16:05
Deputados no Plenário da Assembleia Legislativa Deputados no Plenário da Assembleia LegislativaFoto: PAULO PINCEL/PH

Os deputados do governo e da oposição analisaram a reforma administrativa do Estado, entregue pelo governador Wellington Dias (PT) , na manhã desta segunda-feira (18) na Assembleia Legislativa . O objetivo das mudanças é tornar a gestão mais eficiente com menor custo, gerando uma economia anual de R$ 400 milhões, segundo cálculos da equipe econômica do Estado.

“Ao longo dos mandatos, o governador Wellington Dias tem tido a clareza da importância de vir a esta Casa para debater, apresentar e abrir o debate para esclarecer quaisquer dúvidas. Uma reforma administrativa é polêmica porém necessária para o Piauí. Hoje no Brasil nós já temos oito Estados que decretaram calamidade financeira e o Piauí não quer isso e a equipe econômica do nosso Estado é muito eficaz”, analisou a deputada Flora Izabel (PT).

“O governador fez um encaminhamento formal de todas as propostas, explicou como funcionará a Reforma e o processo vai tramitar nesta Casa normalmente. Ele também conversou com os deputados da oposição, assim como fez com os deputados da base no Palácio de Karnak”, disse o deputado Júlio Arcoverde (PP)

Já o deputado Gustavo Neiva (PSB), líder da oposição na Casa, disse que a Reforma é tímida e que o Governo deveria reduzir em 50% a máquina administrativa. “A Reforma é muito tímida diante da necessidade que o Estado tem. Todos os serviços do Estado estão precarizados. Não funciona a saúde, não funciona a segurança e a população reclama diariamente dos serviços do Estado. A reforma está mais para um desmonte de palanque eleitoral do que para uma reforma propriamente dita”, analisou.

O senador Marcelo Castro (MDB) também acompanhou a reunião analisou a Reforma como extremamente necessária. “O Brasil está passando por momentos difíceis e é a hora de contenção de despesas e racionalização dos gastos e nós temos que estar em sintonia com esse momento e evidentemente vai caber a Assembleia Legislativa tomar as decisões”, disse.

Tramitação

A mensagem apresentada foi lida no Plenário da Assembleia na sessão ordinária que aconteceu logo após a reunião e seguirá para análise nas Comissões Técnicas da Casa. Segundo a deputado Flora Izabel (PT), o Governador solicitará regime de urgência urgentíssima para essa matéria. Ela vai tramitar normalmente na Casa, como todos os projetos.

Segundo deputado Wilson Brandão (PP), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a Comissão deve ser instalada nesta terça-feira (19) quando a Mensagem será distribuída aos relatores. Ainda segundo o deputado, a matéria poderá ter até três relatores na CCJ, dependendo do número de Projetos de Lei e Projetos de Emendas Constitucionais (PECs) apresentadas junto à Reforma para que nenhum deputado fique sobrecarregado e nenhum ponto saia sem debate da Casa.

Comentários