Política Nacional

Governadores do Nordeste fiéis a Lula disparam e podem vencer no 1º turno

No Nordeste, governadores ligados a Lula têm boas chances de vitória no primeiro turno
Fonte: Uol | Editor: Paulo Pincel 25/09/2018 08:58
Lula e Haddad Lula e HaddadFoto: Jornal O Globo

As principais pesquisas de intenções de voto mostram que os três candidatos a serem mais votados nas eleições para o governo estão no Nordeste. E todos eles concorrem à reeleição e são defensores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Isso mesmo sendo a região mais afetada com a crise econômica em que o país entrou em 2015. Segundo levantamentos mais recentes do Ibope, em cinco estados do Nordeste os governadores têm boas chances de serem reeleitos no primeiro turno. Em três deles os líderes superam o patamar de 60% da intenções de voto - algo que não ocorre em outas regiões do país.

O campeão em termos percentuais nos levantamentos é Camilo Santana (PT) que lidera a pesquisa Ibope para o Ceará divulgada nesta segunda-feira (24), com 69%. Em Alagoas, Renan Filho (MDB) está confortável com 65% das intenções de voto. Outro que sobra nas pesquisas é o petista Rui Costa, que disputa a reeleição na Bahia. Ele tem 60% no último levantamento do Ibope. Os outros dois governadores que têm boas chances de vencer no primeiro turno são Flávio Dino (PCdoB), q ue tem 49% no Maranhão, e Wellington Dias (PT), com 46% no Piauí.

Dos cinco nomes que lideram na corrida para reeleição, quatro estiveram na visita que tentaram fazer a Lula em Curitiba, no dia 10 de abri, apenas Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão, não estava. Para a cientista política Luciana Santana, professora da Ufal (Universidade Federal de Alagoas), a liderança dos governadores defensores do ex-presidente Lula não é uma coincidência e tem muito a ver com a força do petista na região.

No Piauí, o governador Wellington Dias (PT) também desponta como favorito, com 46%. Segundo o Ibope, o petista teria 53% dos votos válidos, sendo que a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Comentários