Polícia

Gangue ataca idosos e mulheres e ameaça servidores na porta do INSS. Veja fotos de parte do bando

Os ataques são rápidos e estão ocorrendo há mais de mês em praças e na frente do INSS, mas a polícia parece não ter sido informada
Fonte: Redação | Editor: Da Redação 17/02/2019 01:55
Gangue se reúne na frente do INSS para atacar vítimas Gangue se reúne na frente do INSS para atacar vítimasFoto: Divulgação

Confiantes na impunidade e na falta de policiamento, assaltantes e batedores de carteiras resolveram se unir e estão atacando, em bando, idosos e mulheres indefesas em vários pontos movimentados do Centro de Teresina.

A gangue é mista, composta por mulheres e homens, e age, principalmente, no período da manhã, entre às 8 e às 11 horas.

Os locais preferidos da quadrilha é o cruzamento das ruas Rui Barbosa e Areolino de Abreu e bem em frente à sede do Instituto Nacional do Seguro Social - INSS.

Em bandos de cinco ou mais pessoas, os membros do grupo selecionam, cercam, distraem e ataca as vitimas. Eles e elas simulam "esbarrões", pedidos de informações ou oferecem alguma coisa para cercar a pessoa a ser roubada.

Se alguma vítima alarma, grita ou pede socorro, o grupo imediatamente se desfaz em meio à multidão. As ladras e seus comparsas correm em várias direções para dificultar a identificação e a prisão do grupo.

Os ataques são rápidos e já estão ocorrendo há mais de mês, notadamente na frente da porta principal de acesso ao prédio sede do INSS, em Teresina, onde há um corrimão para facilitar o acesso de idosos ao Instituto.

Após o ataque, o produto do roubo (carteira, cordão de ouro ou dinheiro) é rapassado imediatamente a outros membros ou aos líderes do grupo.

TURNO EXTRA - Na sexta-feira passada (16) a quadrilha resolveu agir no período da tarde. O bando atacou um idoso que vende frutas em frente ao INSS e levou R$ 250,00.

De acordo com testemunhas, vários servidores do Instituto, principalmente mulheres, já foram ameaçados pela gangue por tentar impedir a ação dos lanceiros.

É tanta ousadia que a mulher, tida como líder do bando ( foto abaixo ), já chegou a entrar na recepção do INSS para ameaçar uma servidora que "alarmou" quando os ladrões atacavam uma gestante.

A

Parte do bando aparece nessa foto. A lidel seria essa mulher com blusa em preto e branco. Ela dá as ordens e também particpa dos ataques da gangue em vários pontos movimentados do Centro de Teresina.

A LÍDER DO BANDO -
A servidora, que tem medo de se identificar por causa das ameaças dos lanceiros, disse aos colegas de trabalho que, por duas vezes, a "líder do bando", já ameaçou esfaqueá-la para "deixar de atrapalhar o serviço" do grupo.

Como até agora nenhuma ação policial efetiva foi adotada para identificar e prender a quadrilha, nesta segunda-feira (18), servidores vão sugerir ao gerente do INSS em Teresina, Ney Ferraz Júnior, que oficialize pedido de providências à Secretaria de Segurança e à Polícia Federal. Alguns alegam que estão se sentindo inseguros com a ação e as ameaças do bando.

Os lanceiros estão tão certos da impunidade que nem se incomodam com a possibilidade de serem fotografados, filmados e identificados por servidores e seguranças do INSS.

De acordo com relatos de várias testemunhas, as ladras e seus comparsas ficam tão à vontade na porta do INSS que nem se importam em mostrar quem são e como agem. A única preocupação do bando é apenas em selecionar as vítimas, abordar e atacar em meio a muitas pessoas.

A conversa despista a atuação do bando
A conversa do grupo é para escolher as vitimas e organizar os ataques. O bando age sem nenhum medo de prisão ou punição. Os rapazes que aparecem na foto dariam cobertura aos ataques

Comentários

Apoio: