Geral

Galpões da Nova Ceasa passam por dedetização

A ação segue até o fim do mês de junho e precisa da conscientização e o apoio dos feirantes.
Fonte: Governo do Piauí | Editor: Redação 05/04/2018 14:42
Os comerciantes da Nova Ceasa aprovam a iniciativa Os comerciantes da Nova Ceasa aprovam a iniciativaFoto: Ascom Nova Ceasa

Os lojistas da Nova Ceasa receberam, nesta quinta-feira (05), cartilhas informativas e cartazes alertando sobre a dedetização completa que os galpões da central de abastecimento receberão no próximo fim de semana. De acordo com a direção do entreposto, a ação segue até o fim do mês de junho e precisa da conscientização e o apoio dos feirantes do local.

James Andrade, diretor presidente da Nova Ceasa, enumera alguns benefícios que a ação proporciona. "Além de estar atendendo a uma legislação da Vigilância Sanitária, a dedetização vai trazer melhorias ao consumidor, que vai comprar um produto livre de pragas, bem como aos trabalhadores do local, que terão um ambiente mais limpo para desenvolver suas ações", disse James. "É uma ação conjunta, envolvendo uma empresa particular de dedetização, a equipe de limpeza do mercado e os lojistas também", acrescentou o presidente.

Segundo o gerente de mercado da Nova Ceasa, Marcos Massaranduba, que está acompanhando os trabalhos de dedetização nos galpões, esta é mais uma ação do projeto de manter a higienização do entreposto, evitando a proliferação de doenças nas lojas e bancas da central. “A medida visa à extinção de pragas nesses locais e, para que seja desenvolvida de forma mais dinâmica e satisfatória, os trabalhos foram divididos em etapas: a higienização é realizada em um galpão de cada vez e aos fins de semana. Tudo isso pensado para não atrapalhar as vendas”, disse Marcos.

Os comerciantes da Nova Ceasa aprovam a iniciativa. "É mais uma atitude que a diretoria da Nova Ceasa toma que tem nosso total apoio e contribuição. Queremos ver esse mercado cada vez mais limpo, seguro e repleto de consumidores satisfeitos com a higienização e qualidade dos produtos que aqui comercializamos", disse o membro da União de Permissionários da Ceasa (UPC), José Luiz Barbosa.

Comentários