Política Nacional

Federal encontra R$ 200 mil em espécie na casa de Ciro

Dinheiro foi declarado no Imposto de Renda, adianta advogado Antonio Carlos Castro, o “Kakay”
Fonte: Da Redação/Globo News 24/04/2018 17:05
Agente da PF deixa Senado após cumprir mandado no gabinete de Ciro Nogueira   Leia mais: https://oglobo.globo.com/brasil/policia-federal-apreende-200- Agente da PF deixa Senado após cumprir mandado no gabinete de Ciro Nogueira Leia mais: https://oglobo.globo.com/brasil/policia-federal-apreende-200-Foto: Givaldo Barbosa/Agência O Globo

Policiais federais encontraram R$ 200 mil em espécie nas casas do presidente nacional do Progressistas, senador piauiense Ciro Nogueira, em Brasília e em Teresina. O advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o “Kakay”, em nota, adiantou que o dinheiro foi declarado no Imposto de Renda do senador - que guardava R$ 180 mil em espécie. Os outros R$ 20 mil, segundo Kakay, podem pertencer à deputada federal Iracema Portela (Progressistas). “Os recursos são legais e vamos, inclusive, fazer uma petição solicitando a devolução do dinheiro”, avisou Kakay.

Ciro Nogueira, que está em viagem oficial à Europa, participando de reunião da Organização Mundial de Comércio, em Bruxelas, na Bélgica e só retorna ao Brasil na próxima quinta-feira (26). O advogado adiantou que o senador vai se colocar à disposição da Polícia Federal e do Ministério Público para depoimentos.

“A afirmação de que o senador, de alguma maneira, pudesse ter feito qualquer movimento a ser equivocadamente entendido como tentativa de obstrução é , nas palavras do Senador, completamente fora da realidade. Sequer en passant o Senador praticou qualquer ato que pudesse ser interpretado como tentativa de embaraço. A defesa reitera que o senador Ciro continua à disposição do Judiciário para todo e qualquer esclarecimento, como sempre esteve”, afirmou Kakay.

A íntegra da nota do advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o “Kakay”:

"A defesa do senador Ciro Nogueira deseja esclarecer que a busca e apreensão efetuada na residência e no gabinete do Senador, embora a defesa entenda que foi absolutamente desnecessária, ocorreu rigorosamente dentro da legalidade, em cumprimento a ordem emanada de Ministro do Supremo. Na residência não houve documento apreendido e a apreensão de montante em espécie é facilmente justificada, pois o senador tem em seu IR valores em moeda regularmente declarados. Ademais, dentro dos cofres localizados na residência, cujas senhas foram voluntariamente fornecidas pelo casal, também tinham pertences e valores particulares de sua esposa, que é deputada federal. Os poucos documentos apreendidos no gabinete do senador não causam nenhuma preocupação. A afirmação de que o senador, de alguma maneira, pudesse ter feito qualquer movimento a ser equivocadamente entendido como tentativa de obstrução é , nas palavras do senador, completamente fora da realidade. Sequer 'en passant' o senador praticou qualquer ato que pudesse ser interpretado como tentativa de embaraço. A defesa reitera que o senador Ciro continua à disposição do poder Judiciário para todo e qualquer esclarecimento"

Comentários