Brasil

FBI se reúne com a Polícia de Goiás para discutir caso João de Deus

Na tarde desta terça-feira (18/12), equipes da DEIC cumprem mandados de busca e apreensão na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia.
Fonte: Portal Dia Oline | Editor: Redação 19/12/2018 13:59
João de Deus João de DeusFoto: IstoÉ

Na tarde desta terça-feira (18/12) uma equipe do FBI (Polícia Federal dos Estados Unidos) se reúne com a Polícia Civil de Goiás, em Goiânia, para tratar sobre o caso João de Deus, médium denunciado por abusos sexuais. Ainda não se sabe se a polícia americana participará das investigações. A reunião foi confirmada pelo delegado-geral da PCGO, André Fernandes.

Também na tarde de hoje, equipes da Delegacia Estadual de Investigação Criminal (DEIC), que conduz as investigações, cumprem mandados de busca e apreensão na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, interior de Goiás, onde os atendimentos espirituais são realizados. Funcionários do local também são ouvidos. Amanhã, 19 de dezembro, detalhes sobre o caso serão repassados pelo delegado-geral e integrantes da força-tarefa, por meio de uma coletiva de imprensa marcada para às 11h15.

Denúncias contra João de Deus

Desde o último dia 8, um dia após os primeiros relatos nacionais e internacionais virem à tona em rede nacional, o Ministério Público, por meio de uma força-tarefa, recebeu 506 denúncias de crimes sexuais envolvendo o líder religioso. De acordo com os relatos, os abusos ocorreram na Casa Dom Inácio de Loyola, onde João de Deus atende milhares de pessoas que buscam curas espirituais.

Segundo o MP, as denunciantes são de Goiás, Ceará, Mato Grosso, Rio Grande do Norte, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Pernambuco, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Pará, Santa Catarina, Piauí e Maranhão. Além das brasileiras, mulheres da Alemanha, Austrália, Bélgica, Bolívia, Estados Unidos e Suíça também relataram casos de abusos contra João de Deus, que nega todas as acusações.

Defesa de João de Deus pede habeas corpus

Preso desde o último domingo (16/12), após se entregar à polícia em Abadiânia, a defesa de João de Deus entrou com pedido de habeas corpus nesta segunda-feira (17/12). Se o pedido for negado, a defesa pretende entrar com recursos para adoção de medidas cautelares, como prisão domiciliar, uso de tornozeleira e a proibição de exercer a mediunidade. O resultado do pedido de habeas corpus deve sair a qualquer momento.

João de Deus, de 76 anos, está detido no Núcleo de em Aparecida de Goiânia. Desde a noite de ontem (17/12), ele dorme em uma cela individual, que mede 2,5m x 3m, e que tem uma cama e um armário. Durante o dia, o médium convive com quatro advogados, presos em uma cela maior.

Comentários

Matérias Relacionadas

Apoio: