Cidade

Engenheiro alertou sobre o perigo de inundações na capital

Estudo sobre o dique do Rio Parnaíba foi apresentado no começo da semana
Fonte: PMT | Editor: Paulo Pincel 15/12/2017 08:00
Apresentação de estudo sobre o dique do Rio Parnaíba Apresentação de estudo sobre o dique do Rio ParnaíbaFoto: PMT

O engenheiro civil Mário Cicareli, especialista em obras hidráulicas, advertiu que o dique do Rio Parnaíba, nas atuais condições, não oferece segurança para as mais de 100 mil pessoas que residem nos bairros Matadouro, São Joaquim e Olarias, na zona Norte de Teresina.

"Se acontecer novamente uma chuva do porte da de 1985, ela encontraria vários pontos vulneráveis na estrutura do dique, onde a água entraria e ocuparia toda essa parte protegida dentro da parte urbana, que está do lado seco”, alertou o engenheiro, durante apresentado, na segunda-feira (11), do estudo sobre as condições de segurança e estabilidade do dique do Rio Parnaíba, que é a própria Avenida Boa Esperança.

O novo estudo, feito a pedido do Ministério Público do Piauí (MPE-PI), aponta que a estrutura do dique está vulnerável e precisa ser reforçada. O dique do rio Parnaíba protege diretamente 100 mil pessoas que moram na zona Norte de Teresina. O reforço e a ampliação dos diques estão previstos na segunda etapa do Programa Lagoas do Norte. A intenção é proteger a cidade contra as enchentes, como as que ocorreram em 1985, 2008 e 2009.

A enchente de 1985 é referência para avaliação da segurança do dique dentro dos critérios nacionais e internacionais. Segundo o engenheiro, existem muitas incrustações, muitas benfeitorias que foram feitas em cima da estrutura do dique, "o que não tem similar no mundo, ou seja, não tem estrutura de contenção de cheia onde é permitido, por exemplo, a plantação de árvore, escavação de poços. Então, sobre a sua estabilidade, o dique não se encontra seguro”, avisou.

Comentários