Polícia

Diretor do IML descarta estupro de Camila Abreu

“Não tem sinais de estupro. Não teve sinais de que ela foi forçada", revelou Antonio Nunes
Fonte: IML/PC-PI | Editor: Paulo Pincel 02/11/2017 20:00
Corpo de Camila Abreu é recolhido pelo IML Corpo de Camila Abreu é recolhido pelo IMLFoto: Reprodução/Efrém Ribeiro/MN

O diretor do Instituto de Medicina Legal, Antonio Nunes, revelou que não houve estupro antes do assassinato da estudante universitária Camila Pereira de Abreu, de 21 anos, morta pelo namorado, Allisson Wattson da Silva Nascimento, capitão da Polícia Militar do Piauí, na madrugada do dia 26 de outubro, no povoado Mucuim, na região do bairro Todos os Santos, em Teresina.

“Confirmo sim, não tem sinais de estupro. Não teve sinais de que ela foi forçada, ou algo assim. Quanto a relação sexual consentida a gente está pesquisando ainda, vamos testar os espermatozoides. A gente vai fazer [o exame] amanhã [hoje] pela manhã”, adiantou o diretor.

Sobre a perícia no Toyota Corolla do capitão, Antonio Nunes, afirmou que “embora a gente já saiba o que aconteceu, eu não estou falando muito sobre o carro porque a gente não tem um laudo ainda. Como vai ser feito hoje a gente está se reservando em não falar muito. Mas, posso dizer que encontramos sague. Agora, não posso falar da dinâmica [do crime] ainda”.

“Ainda vamos fazer uma nova perícia no carro agora para procurar o projétil para saber se não está no carro em algum lugar”, acrescentou.

Comentários