Saúde

Criança “moradora do HUT” recebe alta e volta a morar com a família

A menina Alicia Sophia tem duas patologias: Erro Inato do metabolismo e uma miopatia
Fonte: Prefeitura de Teresina | Editor: Redação 01/11/2017 08:50
Em casa novamente Em casa novamenteFoto: Ascom

Essa semana foi mais que especial para Maria José, mãe da pequena Alicia Sophia, de apenas três anos e dez meses de idade. Depois de acompanhar a filha em uma internação por dois anos e cinco meses no Hospital de Urgência de Teresina (HUT) chegou a hora de levá-la para casa. O tão sonhado dia do retorno se tornou realidade e agora mãe e filha irão, finalmente, conviver com toda família.

“Alicia é minha filha do coração. Quando recebi a confirmação de que poderia levar ela para casa meu coração se encheu de esperança com a possibilidade de ter minha família unida novamente. Alicia tinha apenas 11 meses quando eu a adotei. No mesmo dia comecei a perceber que ela estava muito desnutrida e que seus movimentos não estavam normais. Levei ao médico e ela ficou internada na minha cidade, São Pedro do Piauí, por uns dias. Seu quadro de saúde piorou e precisou ser transferida para o HUT”, explicou a mãe.

Com a chegada da ambulância do município de São Pedro do Piauí a emoção tomou conta da enfermaria 201 da Clínica Pediátrica do HUT, onde Alicia ficava internada. Para a saída do hospital Alicia ganhou um vestido azul de flores e um laço para o cabelo combinando com o vestido. Tudo tinha que sair perfeito.

Enfermeiros, técnicos de enfermagem, médicos, zeladores, nutricionistas, acompanhantes, enfim, todos que conviveram com Maria José e viram Alicia crescer queriam se despedir. Foram muitos abraços, lágrimas e desejos de uma nova vida. “Fiz muitos amigos aqui no HUT. Queria muito levar minha filha pra casa, mas está sendo muito difícil me despedir dos amigos que me acolheram e cuidaram da minha filha tão bem”, comentou Maria José emocionada.

Para poder levar a filha para casa, Maria José, recebeu treinamento específico dos profissionais de saúde do HUT. O objetivo do treinamento é suprir as necessidades do paciente e preparar o responsável para alguma intercorrência clínica. De acordo a enfermeira Manoela Coutinho, gerente da Clínica Pediátrica, as mães das crianças “moradoras do HUT” recebem um treinamento multidisciplinar.

“O treinamento da Maria José teve início ainda na UTI, onde ficou internada por mais de um ano. Quando ela foi transferida para Clínica Pediátrica continuamos o treinamento em tempo integral, pois a rotina é diferente e não tem restrição de acompanhante. Nossas equipes ensinaram todos os cuidados necessários para o dia a dia como: técnicas de aspiração, higiene, mudança de decúbito para evitar lesão por pressão, nutrição e ingestão de líquidos para evitar desidratação, entre outros”, disse.

Manoela disse ainda que a alta de Alicia só foi autorizada após a comprovação de que mãe estava apta a cuidar sozinha da filha. “Pedimos uma avaliação da nossa equipe multiprofissional e a mesma constatou que a mãe já estava preparada para assumir os cuidados com a filha em casa”, observou Manoela.

Para garantir o direito da criança de receber benefícios junto ao INSS e a prefeitura de sua cidade o Serviço Social do HUT elaborou relatórios explicando as necessidades da Alicia e da família. Segundo Josélia Carvalho, assistente social do HUT, os benefícios são importantes para garantir uma renda mínima para criança e custear as despesas. “É muito gratificante participar de um processo de desospitalização e ver uma criança voltar a conviver com sua família. Isso nos dá mais estímulo para continuarmos trabalhando para levar mais crianças de volta para casa”, declarou.

Dr. Gilberto Albuquerque, diretor geral do HUT, explicou que Alicia tem duas patologias. Uma é chamada de Erro Inato do metabolismo e a outra é uma miopatia. A primeira, de acordo com o diretor, é uma doença congênita que apresenta uma alteração intracelular comprometendo o sistema nervoso central e a miopatia tem comprometimento neurológico e muscular. “Alicia já consegue respirar sem ajuda de aparelhos. É uma grande vitoria a desospitalização de Alicia. Nossas equipes se sentem estimuladas a continuar trabalhando com afinco e amor. É muito gratificante ver uma criança com internação de longa permanência retornando para o seu lar depois de tanto tempo e saber que você é parte desse processo”, finalizou o diretor.

Comentários

Matérias Relacionadas