Municípios

Complexo formado por Hospital de Oeiras e UPA é referência para 120 mil habitantes

O diferencial do Hospital Regional Deolindo Couto é a oferta de atendimento humanizado.
Fonte: Ascom Saúde | Editor: Da Redação 30/04/2019 15:57
Hospital  Regional Deolindo Couto Hospital Regional Deolindo CoutoFoto: Ascom

O Hospital Regional Deolindo Couto (HRDC) chega aos 50 anos estruturado como um complexo hospitalar, cuja estrutura de atendimento vai desde as urgências até os cuidados intensivos, atingindo um nível de resolutividade que já salvou milhares de vidas.

A evolução que se vê nessas bodas de ouro se intensificou nos últimos dois anos, quando o hospital modernizou o parque tecnológico, passou a contar com uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), a uma quadra de distância, e implantou novos serviços como UTI, Pronto Atendimento Obstéstrico e Cirurgia Bucomaxilofacial.

O Complexo HRDC/UPA 24horas é referência na assistência médica hospitalar para 120 mil habitantes de 17 municípios do Território do Vale do Canindé. Para garantir o atendimento, o HRDC montou uma estrutura que possibilitou atender mais usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), com mais qualidade e segurança, resultando em maior resolutividade, redução dos deslocamentos de pacientes para Teresina e, o melhor de tudo, salvando vidas e curando pessoas.

Contando com 92 leitos, sendo 10 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), atende urgências, realiza consultas e exames no ambulatório, faz internações, cirurgias, serviços de fisioterapia e psicologia e partos.

Atendimentos

A média mensal do Complexo HRDC/UPA é de mais de 30 mil atendimentos por mês, somando-se consultas, exames, internações, permanências para observação, cirurgias, diálises, procedimentos diversos de urgência desde suturas a imobilizações ortopédicas, medicações, sessões de fisioterapia, partos e classificação de risco.

Consultas e exames

Consultas, exames e outros procedimentos que até bem pouco tempo só eram acessíveis em Teresina, agora podem ser feitas na velha capital. O HRDC atende Neurologia, Ortopedia, Pediatria, Obstetrícia, Ginecologia, Nefrologia, Cardiologia, Psiquiatria, Infectologia, Oftalmologia, Clínica Médica, Fisioterapia, Psicologia, além de exames de Radiologia, Patologia clínica, Ultrassonografia e Eletrocardiograma.

Lugar de nascer

No Pronto Atendimento Obstétrico, aberto em 2018, nascem em média 130 crianças por mês, entre partos normais e cesarianas. O espaço diferenciado permitiu melhor acolhimento das gestantes e mais segurança e conforto às mães e bebês.

Hospital Regional Deolindo Couto completa 50 anos (Ascom Sesapi e HRDC)

Urgência

A Unidade Pronto Atendimento (UPA) de Oeiras funciona como um anexo do HRDC e está voltada para atender pacientes em situação de urgência e emergência. Recebe, em média, 120 pessoas por dia.

Os pacientes que chegam ao local passam por uma classificação de risco, uma avaliação da gravidade em que se encontram. Os casos mais graves são encaminhados para o hospital, que fica a uma quadra de distância, o que facilita o transporte e dá maior agilidade na assistência.

UTI

A abertura de 10 leitos de UTI, em 2017, representou um avanço importante para salvar vidas na região de Oeiras, permitindo o atendimento e tratamento mais rápido dos pacientes mais perto do local em que moram, evitando a transferência de usuários do SUS para Teresina, a não ser em casos de altíssima complexidade que sejam tratados exclusivamente em hospitais de referência estadual - como HUT, Hospital Getúlio Vargas e Hospital da Polícia Militar, em Teresina.

Prevenção ao suicídio

Um serviço inovador, voltado para o cuidado com a saúde mental da população, funciona há um ano, todos os dias da semana em caráter de plantão. É o Núcleo de Valorização da Vida (Nuvvi), dentro da Rede de Atenção Psicossocial.

A equipe de três psicólogos e um médico neuropsiquiatra atende pessoas com algum sofrimento mental, visando principalmente à prevenção ao suicídio. De acordo com a gravidade, as pessoas são encaminhadas ao Centro de Atenção Psicossocial do município (CAPs).

Trata-se de um serviço de escuta, que funciona como porta de entrada para os cuidados da saúde mental do município. Em um ano, foram realizadas mais de 600 escutas, provenientes de encaminhamento ou demanda espontânea em situações de urgência.

Fim das filas

O fim das filas para marcação de consultas de especialidades é outro avanço que o Complexo HRDC/UPA 24 horas conseguiu garantir. Antes, os pacientes tinham que ficar toda a noite na porta do ambulatório para conseguir marcar. Agora, com a nova forma de agendamento, o paciente solicita a consulta por telefone ou pessoalmente. Em seguida, um funcionário do hospital liga para o paciente e avisa para qual data a consulta foi agendada.

Novos equipamentos

O complexo renovou o parque tecnológico nos últimos anos. Foram cerca de R$ 900 mil em equipamentos, proveniente de emenda do deputado federal Assis Carvalho, que permitiram a implantação de novos serviços como cirurgia Bucomaxilofacial, UTI, Pronto Atendimento Obstétrico, além da capacidade para sediar mutirões de saúde.

Mais cirurgias

As reformas, ampliações e aquisição de novos equipamentos permitiram ao hospital aumentar a quantidade de cirurgias eletivas – pediátricas, ortopédicas, gerais e ginecológicas - realizadas diariamente e em mutirões de cirurgias, e a inclusão de novas operações em mutirões de saúde como de catarata e de varizes.

Além disso, o hospital passou a fazer a cirurgia Bucomaxilofacial. E, mais recentemente, começou a fazer videolaparascopia - técnica cirúrgica minimamente invasiva realizada com auxílio de uma câmera de vídeo.

Recursos

O atraso nos repasses de recursos do SUS para unidades de saúde, que dificultou o atendimento em diversos hospitais públicos, tiveram menor impacto no Complexo HRDC/UPA24horas, que conseguiu emenda parlamentar do deputado Assis Carvalho no valor de R$ 1,7 milhão para o custeio.

Trabalho de Equipe

Além da estrutura técnica, a administração foca na humanização do atendimento e valorização dos profissionais. O hospital, que é dirigido pelo enfermeiro e auditor Alípio Sady, conta hoje com 390 servidores, entre efetivos e prestadores de serviços. São médicos, enfermeiros, técnicos em Enfermagem, bioquímicos, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogo, nutricionistas, técnicos em Laboratório, técnicos em Radiologia, assistentes sociais, auxiliares/ atendentes de enfermagem, auxiliares de serviços gerais, motoristas e auxiliares administrativos.

Comentários