Polícia

Camila apanhou muito antes de ser executada, revela IML

Estudante tinha lesões no tronco e na perna, segundo laudo da perícia
Fonte: Polícia Civil/DH | Editor: Paulo Pincel 16/11/2017 15:05
Camila Abreu Camila AbreuFoto: Arquivo pessoal

O laudo da perícia realizada no corpo da estudante de Direito Camilla Pereira de Abreu, de 21 anos, revelou que ela sofreu antes de ser assassinada com um tiro de pistola .40 no rosto, disparado a queima roupa pelo namorado, o capitão-PM Alisson Wattson da Silva Nascimento, de 37 anos, na madrugada do dia 26 de outubro, em Teresina.
Os peritos do Instituto de Medicina Legal encontraram várias lesões no corpo da vítima, principalmente no tronco e em uma das pernas (tíbia). Os golpes foram aplicados em Camila antes dela ser morta. Os legistas encontraram uma fratura no osso da clavícula, mas a lesão era antiga.
O laudo do IML será encaminhado até o início da próxima semana ao delegado de Polícia Civil Emerson Almeida, que preside o inquérito de homicídio qualificado, ocultação de cadáver e destruição de provas praticado contra a universitária Camila Abreu.

Disparo de fora do carro

O tiro que matou Camila Pereira de Abreu foi efetuado de fora do Corolla, onde estava a estudante de Direito (26) O IML não divulgou o laudo oficial da perícia no corpo, mas já se sabe que Camila morreu em consequência de um único disparo de arma de fogo, que atingiu a cabeça, de cima para baixo, da direita para esquerda, arrebentando o crânio. Ou seja. Camila foi atingida no rosto com a bala entrando pelo lado da porta do carona e saindo para o lado do motorista.

Comentários