Saúde

Associação Piauiense de Portadores de Esclerose Múltipla (APPEM) realiza confraternização

Foi uma manhã (15) cheia da magia natalina para celebrar com pacientes.
Fonte: Ascom | Editor: Da Redação 16/12/2018 10:51
Celebração CelebraçãoFoto: Ascom

A Associação Piauiense de Portadores de Esclerose Múltipla (APPEM) promoveu na manhã deste sábado, 15, a confraternização natalina com amigos e familiares dos pacientes portadores de esclerose múltipla. O evento aconteceu no ambulatório do Hospital São Marcos.​

Celebração

"Cada encontro festivo é também uma grande terapia em grupo. Aproveitamos essas reuniões mensais para que eles possam conversar e trocar experiências. Aqui um, sempre ajuda o outro", informa a Drª. Lúcia Almeida, presidente da APPEM.​

Celebração

A esclerose múltipla é a doença autoimune do sistema nervoso central que mais acomete jovens adultos no mundo inteiro. Não se sabe o que causa a doença e ainda não há cura, mas já existem diversos tratamentos eficazes para a doença. Hoje, mais de 2.300.000 pessoas em todo o mundo vivem com a doença. No Piauí, atualmente 60 pacientes estão cadastrados na Associação e são atendidos por uma equipe de saúde multidisciplinar.​

Um dos pacientes acolhidos é Gilberto Júnior, que descobriu a doença há nove anos. "Sentir minha visão turva, procurei um oculista que me disse não haver nada. Comecei a sentir tonturas e andar cambaleando, procurei outros médicos e todos diziam que nos exames não dava nada. Quanto mais me falavam que eu não tinha nada, mas eu ficava preocupado. Só depois de seis meses com a ressonância magnética foi que descobrimos a doença e aí eu pude ficar mais tranquilo. Sei que a doença não tem cura, mas tem controle com os medicamentos certos", fala Gilberto. "Sou muito grato a Drª. Lúcia, se não fosse ela, a vida estaria muito ruim para nós", declara Gilberto.​

Celebração

Para Maria José, a descoberta da EM foi mais tranquila e rápida. "Em 2012, assim que sentir a fraqueza nas pernas, e minha visão distorcida procurei logo a APPEM e já obtive ajuda no início da doença. Meus surtos são rápidos e eu nunca desisto de melhorar, porque acredito na medicina que está sempre evoluindo. Hoje vivemos muito mais e melhor Graças ao Dr. Kelson e a Drª. Lúcia" revela Maria José. ​

Nada impede que os portadores de esclerose múltipla levem uma vida normal, desde que estejam conscientes que o aparecimento de qualquer sintoma eles devem entrar logo com medicação para prevenir sequelas.

Comentários