Educação

Alunos do Cidade Olímpica ganham Prêmio Jovem Cientista do Piauí

Trabalho mostrou como compreender o tamanho real entre os planetas por meio de uma representação em escala
Fonte: CCOM | Editor: Redação 30/10/2017 13:04
Prêmio Jovem Cientista do Piauí Prêmio Jovem Cientista do PiauíFoto: Ascom

Um trabalho sobre sistema solar e matemática rendeu aos alunos do Programa Cidade Olímpica Educacional, da Prefeitura de Teresina, o primeiro lugar do Prêmio Jovem Cientista do Piauí, divulgado nesse domingo (29). A turma de alunos de escolas municipais da capital mostrou na prática como a matemática está em tudo, concorreu com dezenas de projetos de todo o Estado e acabou levando o troféu na categoria Ensino Fundamental.

Abigail Feitosa, Maria Eduarda Gonçalves e Rodrigo Walisson foi o trio premiado com o projeto “Planetas do Sistema Solar: em volumes e distâncias proporcionais”. Na prática, os alunos mostraram como compreender o tamanho real entre os planetas por meio de uma representação em escala. Com a ajuda de uma maquete construída nas aulas de Astronomia aos sábados, o grupo revelou ao público como aprimorou os conhecimentos matemáticos de forma experimental.

A premiação fez parte da Feira Estadual de Ciência e Tecnologia, PiauíTec, organizada pelo Governo do Estado como forma de promover o intercâmbio de trabalhos técnico-científicos de diferentes instituições educacionais.

A coordenadora de Astronomia do Cidade Olímpica, Regina Ibiapina, conta que um dos critérios de seleção dos trabalhos no concurso era a relevância técnico-científica. Segundo ela, as oficinas realizadas aos sábados seguem essa tendência, ensinar com base em experiências reais. “Eles fazem ciência, aprendem, pesquisam, experimentam e evoluem. Estamos muito orgulhosos dos nossos alunos”, pontua.

A professora Maria do Desterro também ajudou a dar forma ao trabalho. Ela explica que o sistema solar geralmente é apresentado nos livros de forma ilustrativa, mas as ferramentas da matemática podem ajudar a compreender melhor as distâncias reais entre os astros. “A ideia surgiu em sala de aula, e como atividades práticas estimulam no aluno essa procura pelo conhecimento, fomos em busca de solucionar um problema de percepção com conhecimento interdisciplinar. Estamos bem satisfeitos com o resultado. O projeto foi elogiado e incentiva os alunos a continuarem pesquisando, aprimorando”, conclui.

Comentários