Saúde

AIDS: Potycabana recebe FMS em ação de combate ao HIV

A partir das 17h30, a população terá à sua disposição testes rápidos, orientações e material educativo sobre o tema.
Fonte: Prefeitura de Teresina | Editor: Redação 30/11/2017 13:24
Parque Potycabana Parque PotycabanaFoto: Divulgação

Em alusão ao Dia Mundial de Combate à AIDS, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) promove uma mobilização no Parque Potycabana hoje (30) e amanhã (01). A partir das 17h30, a população terá à sua disposição testes rápidos, orientações e material educativo sobre o tema.

“Hoje, vamos distribuir material educativo e preventivo, como preservativos femininos, masculinos e gel lubrificante. Amanhã, a programação conta ainda com a realização de testes rápidos para a detecção do HIV”, informa Alana Niége, coordenadora de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) e AIDS. A atividade é gratuita e aberta a toda a população.

Desde o começo da semana, a FMS tem intensificado as ações de prevenção à AIDS, com visitas a praças, universidades e outros pontos de grande movimento. Ainda amanhã (01), as Unidades Básicas de Saúde farão uma mobilização, onde serão realizadas testagens rápidas para a comunidade em geral, além da disponibilização de insumos de prevenção.

O tratamento da AIDS está disponível na rede pública de saúde. A porta de entrada são os testes rápidos, e uma vez recebido o diagnóstico positivo o paciente é encaminhado para o Serviço de Atendimento Especializado (SAE) Municipal, que fica no Centro Integrado de Saúde Lineu Araújo. “No SAE, os pacientes residentes em Teresina realizam os exames confirmatórios, que são o CD4 e o exame de carga viral. Caso dê positivo, ele já inicia o tratamento medicamentoso e será acompanhado pelo serviço”, explica a coordenadora. Em caso de efeitos colaterais ou infecções oportunistas o hospital de referência é o Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela (HDIC).

O Ministério da Saúde trabalha ainda com a prevenção combinada, que além dos testes e medicações conta com a profilaxia pós-exposição (PEP). “Pessoas que tiveram relações desprotegidas com alguém que vive com HIV, ou com alguém que não é seu parceiro fixo e fica com a dúvida, podem buscar a PEP, que pode ser tomada em até 72 após a relação, de preferência em até duas horas”, esclarece a Alana Niége. “Primeiro é feita a testagem rápida, seguida por 28 dias tomando a medicação. Após este prazo é feita uma nova testagem rápida, para saber se o tratamento teve sucesso ou não”, conta.

Ter o HIV não é a mesma coisa que ter a AIDS. Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença. Mas, podem transmitir o vírus a outros pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação. Por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações.

Comentários