SABOREANDO NOTÍCIAS

Por Edna Guedes

Vegetarianismo: Vegano e a Saúde

Vegetarianismo VegetarianismoFoto: Divulgação

A existência do vegetarianismo no mundo vem desde a antiguidade com Pitágoras, Leonardo da Vinci, Voltaire, Gandhi, Tolstoy, Benjamin Franklin, entre outros que defendiam o vegetarianismo. É crescente o número de seguidores do vegetarianismo no mundo e grande parte dos adeptos deste regime alimentar se inicia devido às questões relacionadas ao meio ambiente, saúde, economia, ética e religião.

Para conhecer e entender melhor AS RAZÕES ÉTICAS E SAUDÁVEIS desta filosofia, o assunto foi tema de seminário com os alunos do curso de gastronomia do IFPI na disciplina Ética no trabalho, ministrada pelo professor Me. Francílio do Vale. Desta forma os alunos ficaram sabendo que a influência de ênfase é a ética, pois consiste em defender os direitos animais, considerando a tortura e matança infligidas desnecessárias e responsáveis pela destruição da natureza. Do ponto de vista nutricional, ser vegetariano significa não se alimentar de nenhum tipo de carne (vaca, frango, peixe, carneiro, avestruz, escargot, “frutos” do mar e outros) nem produtos feitos com carne (presunto, salsicha, hambúrguer, salame, atum, etc.).

A inclusão ou exclusão de produtos derivados de animais no cardápio diário é o que determina o tipo de vegetarianismo adotado.

Vegetarianismo

A dieta Ovolactovegetarianismo, por exmeplo, é composta por alimentos de origem vegetal, ovos, leite e derivados deles, mas não consomem nenhum tipo de carne. Já o Vegetarianismo semi estrito exclui quase todos os alimentos de origem animal, abrangendo somente o mel, ovos ou leite. O Vegetarianismo estrito ou veganismo é uma dieta em que se baseiam os hábitos alimentares daqueles que não consomem nem utilizam nada que advenha da exposição, do padecimento ou da morte de qualquer animal. Estes não consome nenhum tipo de carne, ovos, mel, laticínios e produtos que incluam derivados animais entre os ingredientes, como gelatina, albumina, proteína do leite, alguns corantes e espessantes.

Quando o assunto é vegetarianismo e a dieta vegana surge sempre essa pergunta: a dieta vegana adequada é capaz de atender as necessidades nutricionais do ser humano e ser benéfica a saúde?

Estudos demonstram que os alimentos de origem vegetal promovem mais qualidade de vida e, consequentemente, mais longevidade. O teor de cada nutriente nos alimentos vegetais é diferente do encontrado nos de origem animal, mas o equilíbrio obtido com a sua utilização é bastante adequado para a saúde humana, trazendo grandes benefícios.

O novo Guia Alimentar/2014 (Ministério da Saúde) - atualizado por pesquisas oficiais publicadas ao longo dos anos em todo o mundo trata a alimentação sem nada de origem animal de forma mais natural e cotidiana. Reconhece que não é necessário consumir carne, laticínios ou ovos para ser saudável, embora mantenha o posicionamento presente no Guia anterior de 2006 de que os vegetarianos precisam ter atenção na hora de combinar os alimentos.

Tanto vegetarianos quanto não vegetarianos devem conhecer os grupos de alimentos e aprender a combiná-los para a melhor obtenção de nutriente. Toda modificação alimentar, com carne ou não, pode ser melhor realizada com o auxílio de um nutricionista ou médico nutrólogo.

Tabela

Apenas a vitamina B12 pode estar em quantidade inadequada numa dieta vegetariana estrita bem planejada, sendo necessário complementá-la. E precisam de suplementação as gestantes e lactantes (vegetarianas ou não); crianças; vegetarianos estritos (que não utilizam alimentos fortificados); vegetarianos que utilizam ovos e laticínios com pouca frequência). Todos os outros nutrientes, a exemplo do ferro, cálcio e gorduras do tipo ômega-3 podem ser adequadamente supridos com uma alimentação bem planejada.

DICAS: Nenhum profissional precisa ter as mesmas convicções ideológicas que o cliente vegetariano, mas é uma questão de ética respeitar e orientar o cliente sem tentar modificar sua opção dietética.

A discussão filosófica sobre as razões éticas e saudáveis do vegetarianismo e dieta vegana poderá se estender no momento de preparo e degustação do Bolo Vegano, na nossa dica de hoje.

Bolo Vegano

Bolo Vegano

1 copo de medidas quase cheio de farinha de trigo

1 copo de medidas quase cheio de cacau em pó

1 copo de leite de soja

1 copo de açúcar

2 colheres de óleo

1 colher de vinagre branco

1 colher de fermento químico em pó

Modo de fazer:

Primeiro misture todos os ingredientes secos, começando pela farinha. Não esqueça de peneirar a farinha e o cacau para evitar que fique empelotado. Misture bem os dois.

Em uma panela, leve ao fogo o leite de soja e o açúcar. Esquente e mexa até dissolver o açúcar.

Em seguida, coloque o leite com o açúcar em uma bacia. Acrescente o óleo e o vinagre e misture bem até ficar com uma espuminha. Em seguida, vá acrescentando aos poucos a farinha com cacau e bata a massa. Depois que a massa estiver batida, acrescente o fermento em pó e misture sem bater.

Untar uma assadeira com óleo e farinha, despeje a massa e leve o bolo para assar a forno pré-aquecido a 200 graus, mais ou menos.

Recheio

1 pacote de coco ralado seco sem açúcar

1 lata de leite condensado de soja

Morangos picados

Corte o bolo ao meio. O ideal é que o bolo esteja frio nesta etapa. Misture os dois ingredientes em um recipiente e recheie o bolo. Coloque os morangos e em seguida coloque a metade da massa por cima.

Cobertura

1 barra de chocolate meio-amargo ( sem leite nos seus ingredientes)

1 caixinha de creme de soja

1 caixa de morango

Rale o chocolate. Leve ao fogo em banho-maria para derreter. Em seguida, vá acrescentando o creme de soja e mexendo até que a mistura fique uniforme.

Cubra o bolo com a ajuda de uma faca e use os morangos para decorar.

Comentários

SABOREANDO NOTÍCIAS

Edna Guedes

EDNA GUEDES é graduada em nutrição pela UFPI - Universidade Federal do Piauí e Pós-graduada com Especialização em Gestão de Políticas de Alimentação e Nutrição pela FIOCRUZ/Brasília; Especialização em Vigilância Alimentar e Nutricional para a Saúde Indígena pela ENSP/FIOCRUZ, e em Nutrição Materno Infantil pela UFPI. Foi professora substituta da UFPI; Foi servidora do Ministério da Saúde, na Coordenação Geral de Políticas de Alimentação e Nutrição - CGPAN, em Brasília, e nutricionista da FUNASA na Casa de Saúde Indígena, em Teresina. Atualmente trabalha na Secretaria de Saúde do Estado do Piauí – SESAPI; É membro do CEDIPI - Conselho Estadual do Direito da Pessoa Idosa do Piauí. Realiza palestras e treinamentos em Segurança Alimentar e Nutricional, implantando Boas Práticas em Serviços de Alimentação e Nutrição. Edna sempre teve a paixão pela cozinha, despertada através de tradições da família. Está cursando Tecnólogo em Gastronomia no IFPI – Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Piauí. Fez cursos ligados a alimentação vegetariana em Recife e Brasília, onde morou e estudou por alguns anos. Edna é sócia fundadora da COONUTRI – Cooperativa de Nutricionista do Piauí, onde realiza atendimento clínico nutricional e divide seu tempo com as atividades de produção de refeição dentro da própria cooperativa, na COONUTRI COMER BEM com um seguimento voltado para alimentação saudável da população sadia e enferma. Além disso, ministra aulas personalizadas de gastronomia sempre com o objetivo de fazer do ato de cozinhar um prazer na vida das pessoas, melhorando sua qualidade de vida.

Sobre o Blog

Prezado leitor, Saboreando notícias será o novo quadro semanal no qual a nutricionista Edna Guedes abordará temas ligados à nutrição e gastronomia, com o objetivo de contribuir para ampliar sua alegria de viver e comer forma saudável para que você, querido leitor, possa ter vida longa, com saúde e disposição.

Apoio: