Subconcessão da Agespisa e PPPs somam R$ 3,5 bilhões

Wellington Dias com Franzé Silva e Viviane Moura no Palácio de Karnak Wellington Dias com Franzé Silva e Viviane Moura no Palácio de KarnakFoto: Jorge Bastos

Não à toa a oposição se revezou na tribuna da Assembleia Legislativa, ao longo de todo o segundo semestre, para criticar e até levantar suspeita sobre a subconcessão da Agespisa - cuja licitação é orçada em R$ 1,7 bilhão e está sub judice - e o programa de Parcerias Público Privadas em curso no Piauí - que já ganhou prêmio nacional, diga-se!

Na noite de quinta-feira (21), no Palácio de Karnak, o governador Wellington Dias presidiu a última reunião do ano do Conselho Gestor das PPPS, da qual fazem parte a Superintendência de Parcerias e Concessões do Governo do Piauí e outros órgãos da administração estadual.

Participaram da reunião os secretários de Administração e Previdência, Franzé Silva, e de Mineração, Luis Coelho, além do procurador-geral do Estado, Plínio Clêrton e da superintendente Viviane Moura, que tem sub sua responsabilidade nada menos que R$1.824.272.621,79, relativos às PPS em curso, que correspondem à gestão privada dos Terminais Rodoviários de Teresina, Picos e Floriano, Nova Ceasa, Saneamento da Zona Urbana de Teresina e o Piauí Conectado.

Viviane Moura explicou que o governo obteve R$ 231 milhões com a contratação dos projetos das PPPs, a título de investimentos em infraestrutura. Em 2016, o valor dos investimentosdo alcançaram R$1,819 milhões.

"Em minhas viagens percebo que o Piauí é visto com outros olhos e já é referência em realização de PPPs. Já temos exemplos suficientes de que funciona e estamos tendo um bom retorno", comemorou o governador Wellington Dias.

Para 2018, o governo deve concluir as PPPs do Complexo Turístico do Litoral, Novo Hospital Infantil, Piauí Center Modas, Parque de Exposições, Transcerrados, VLT Teresina, Ciac São João do Piauí, Ciac de Parnaíba, Gestão de resíduos saúde, Hotel Serra da Capivara,Centro de Convenções, Albertão e Ginásio Verdão.

Viviane Moura apresentou ainda os novos projetos de PPPs como as miniusinas de energia para abastecer os órgãos estaduais, a implantação, construção e operação/exploração do porto de Luís Correia.

Em 2018, a gritaria no parlamento estadual vai ser ainda maior, não só por ser ano eleitoral, mas pela quantidade de investimentos previstos para serem realizados no Piauí. EE as PPPs podem ser a alternativa para o Estado que, embora equilibrado, dispõe de poucos recursos para realizar as obras necessárias para atender às demandas da população.


Reunião do Conselho gestor das PPPs
Reunião do Conselho Gestor das PPPs (Foto: Jorge Bastos)

Comentários

MEIA PALAVRA

Paulo Pincel

Paulo Henrique Oliveira Barros Bacharel em Comunicação Social - Jornalismo - UFPI Especialização em Marketing e Jornalismo Político - Instituto Camilo Filho Escreve sobre política e outros assuntos

Sobre o Blog

Para bom entendedor...

Apoio:

Colunas e Blogs